quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

A Politica dos Bastidores - Retrospectiva 2010

Novo chefe


Nesta semana, mais precisamente na quarta- feira dia 15, será eleito o novo presidente da Câmara de Paulínia para o biênio 2011/2012. As candidaturas são articuladas de forma discreta e todos buscam o apoio do chefe do Executivo que oficialmente se declara neutro. " No apagar das luzes de sua gestão, o atual presidente, Marquinhos da Fiorela, o Peixe renovou uma série de contratos de prestação de serviços com a casa, como se estivesse certa sua continuidade no cargo".


Que coisa, não!..


Simone disse que sofre muito com o povo e recla-ma que Pavan não a deixa resolve-los. Antes de desli-gar o telefone, ela foi convi-dada a comparecer ao vivo no Programa do Eduardi-nho da Rádio para falar de suas angustias por ver o povo sofrer e suas mágoas de Júnior Pavan que a im-pede de trabalhar

Ao vento


Uma vez dito, não há como correr atrás porque a interpretação de quem ouviu não retroage, ou seja explica e não justifica. O vereador Francisco Bonavita (PMDB) esclareceu que não é contra o prefeito José Pavan Júnior, nem contra a administração dele e muito pelo contrário, fez apenas um alerta de que as coisas não vão bem


Tudo é marketing


Na política moderna, as estratégias de comunicação definem os rumos de todo o processo político. Por isso, cada um deve saber o que apresentar e planejar antes de executar. Se o candidato à presidência, José Serra explorasse de outra maneira o episódio do Rio de Janeiro, aquele objeto ou bolinha de papel que caiu nele não daria tanta dor de cabeça. Uma coisinha simples.


Feliz Natal


É que podemos dizer de tudo o que rolou nos Bastidores da Política em 2010. Encerramos
com o empréstimo das frase de Bertold Brecht (1898-1956) : Esperamos que as pessoas
se cuidem para não caírem ridículo e saibam tirar de letra a expressão do humor alheio: eis
o que diz:
“ A verdade da outra pessoa não está no que ela revela
“Quem não tem senso de humor nunca vai entender a dialética”
“Implantem logo a censura e acabem com o humor das pessoas “
“ Pessoas sem senso de humor são ridículas “

Simbologia: Tiririca e a Verdade


O palhaço profissional, candidato a deputado federal pelo PR, promete ser um importante puxador de votos pelo fundo de verdade, implícito na sutileza de suas mensagens. Outros fazem o mesmo papel, só que de forma explicita, sem dizer com clareza, quais são as atribuições do deputado federal, de líder religioso e de um Ministro de Tribunal.

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

A Política dos Bastidores - Afinal, quem está por trás?

A Política de Bastidores


Poe Miguel Samuel de Araújo



A final, quem está por trás ?


É a pergunta que permanece sem resposta, desde a tensa sessão extraordinária realizada no dia 15, quando Marquinhos da Bola (PTB) foi escolhido para presidente da Câmara de Paulínia por 9 votos a 1. É que a chapa 2, encabeçada por Siméia Zanon fez que nem uma das casas dos três porquinhos, daquela história que contamos para as crianças.Uma era de palha, outra de madeira e a última de tijolos.

Há!, há!, há !.......

Nesse caso, a casinha da Siméia era de palha e foi abaixo momentos antes da votação, não se sustentou e ninguém quis assumir como articulador, mentor intelectual ou que deu sustento para a iniciativa da moça e assim como na historinha, o lobo ficou só de gargalhadas, observando tudo da janelinha de seu castelo. O episódio fez lembrar uma candidatura a deputado estadual que tivemos em Paulínia em 2010. A campanha não empinou e ninguém assumiu que estava apoiando, apesar do alarde feito pela cidade como se Jaiminho representasse o prenúncio da volta do Calça Preta.


Estavam lá

A Casa estava lotada e pelo movimento das pessoas que compareceram era possível ver para quem cada um torcia. Mas na hora que foi anunciada a debanda, ficou mais claro por causa dos burburinhos e do silêncio da torcida.


Ação x Reação

Só que na hora que Siméia foi a Tribuna, para se justificar, Emerson Gordura se levantou saiu do platéia e destampou a falar no rádio com alguém. Algumas pessoas acham que ele foi falar com o Wilson Machado, do Jornal Tribuna, que confirmou sua capacidade de atrapalhar as coisas.


É ela, é ela.....
Em edição extra, o jornal circulou de manhã, apontando Siméia com maioria assegurada. Balcões de comércio e onde mais era possível o acesso ao público, foram forrados de jornais A foto principal da capa era da vereadora. Mais abaixo, vinham mais outros vereadores, o Loira, o Gustavo Yatecola e tinha ainda o Amarildo como integrante. Também estavam lá, como apoiadores, os colegas Palito e Bonavita.


O jornal

Pela cor da capa e as fotos estampadas, a edição extra que em nada parecia com esse jornal Tribuna do presidente da Associação Comercial que estamos acostumados a ver aos sábados, recebeu o carinhoso apelido de Tribuna Taquaral, não só pela tinta que levou na capa, mas pelas vozes de taquara rachada que a ele se referiam nos cafezinhos de padarias, desde as primeiras horas Era a Voz do Taquaral dando o resultado antecipado. Um comerciante garante que ouviu gente falando no telefone, dando como certa a eleição de Siméia e até aposta rolou.


Com essas e outras

Tudo cessou assim que se confirmou Marquinhos da Bola presidente. Cessou de um lado porque a Tribuna do Taquaral caiu no descrédito, mas a Tribuna da Câmara pegou fogo e virou o foco das atenções com a troca de farpas, ou seja, eles lavaram suas roupinhas ali mesmo Palito sentiu, se esfregando na pólvora e foi o primeiro a expor sua lavanderia e jogou combustível a esmo. Entre outras faíscas disse que também tem grana para bancar jornal e não restou dúvidas porque ele também já teve um amplo espaço no Tribuna para divulgar seus atos.


Abelha Gulosa

O moço chamou Siméia de mentirosa, dizendo em outras palavras que ela, a Siméia, quis o mel só pra ela. Espirrou um pouco do líquido na estopa do Loira que já lambuzada de graxa foi parar bem na cara do médico Gustavo Ia ter cola, mas não teve. Ele nem conseguiu proteger se com uma máscara, dessas branquinhas que os médicos usam. Ai, o doutor tentou limpar a barra, apelando para sua dignidade e responsabilidade, como quem estivesse a dizer: meu nível é outro.


Gulosa II

Aí, é possível entender: Loira era o vice de Siméia na chapa apresentada pelo Tribuna. Então, Palito trocou o apoio á Siméia pela vice- presidência de Marquinhos Bola. Palito não saiu queimado, lembrou que o nome dele estava articulado pelos novatos para ser o presidente da chapa desde o início de 2009.


Melou tudo

Mas num encontro em um barzinho de bacanas do Cambuí em Campinas, chamado Abelha Gulosa, tudo mudou e com os novos contornos, ele deu o troco, mas não falou quem veio por trás da Siméia. Excelente profissional em mecânica, Loira abriu a caixa de ferramentas e desparafusou tudo. Nada conseguiu.



Boa pergunta

A indagação sobre quem vem por trás de Siméia, só pode ter resposta a partir de uma atenta observação nos modos operandi da chapa apresentada pelo Tribuna Taquaral, no que ela resultou e na repercussão que ela teve no Programa do Eduardinho no dia da eleição e no dia seguinte quando ele dedicou parte do tempo para exercitar seus ouvintes com esse questionamento: Quem veio por trás da Siméia ?


A charada

Eduardinho foi criado com o leite da Fazenda Paraíso, tratado com muito carinho pela família de Enide, uma espécie de irmãozinho dos Pavan. Cresceu e passou a dar seus pulinhos que nem um panda e procurou outras tetas. Nem precisa perguntar quem vem por trás dele, né ? Pelos enfoques e destaques de seus programas para as ações do Governo local, acredita-se que ele segue religiosamente uma bula que vem do Taquaral, ou é engano nosso. Desculpem aí.


Agora é o seguinte

Cada um apresentou o que tem. Palito jogou combustível, Loira abriu a caixa de ferramentas e Siméia que adora fotos deixou se levar pelos sonhos, enquanto o médico Gustavo Yatecola veio de bisturi na mão e cortou tudo. Com toda a experiência, Bonavita tentou pagar uma de Ronaldinho para a galera e a bola sobrou para Marquinhos que emplacou. Mano, o barato é forte e o processo é lento, Diz o ditado: quem não pode com a mandinga, não carrega patuá.



Sinceridade

Fale o que quiser, Bonavita é autêntico em suas posições. O Ceará lembrou a história e com muita propriedade. Ele era o presidente no final da gestão passada e seu nome estava articuladíssimo para continuar em 2009, a partir de uma tratativa iniciada na casa de Pedro Politano, hoje secretário de Governo de Pavan, apontado por ele na Tribuna da Câmara, como um dos homens mais íntegros destes país, que avalizou tudo nas presenças de Pavan e o ex- Edson Moura.



Que coisa, não !........

Mass no final das festas de reveillon de 2008 para 2009, foi Marquinhos da Fiorella, o Peixe, quem saiu com a taperwerzinha cheia de guloseima. Fiorela foi o mais votado, presidiu a primeira sessão, empossou colegas, o novo prefeito e a vice. E por lá ficou até os dias de hoje, devendo passar o bastão para o Da Bola no final em 31 de dezembro. Resumidamente, essa é a história.




Política não é estática

Acontece que o tempo passou, Moura e Pavan parecem estar cada um para seu lado e o que foi combinado no apagar das luzes de 2008, já era, assim como aconteceu com o projeto de criação da Paulínia Filmes aprovado em 23 de dezembro.


Marquinhos, um presidente na dele





O futuro presidente da Câmara, tem um estilo próprio de fazer política que o diferencia de muitos outros pela sua paciência, calma em horas que precisa, tudo resultado de um aprendizado quem vem do berço . Ele aprendeu com sua mãe dona Tereza que a humildade e a sabedoria , são virtudes que se busca em Deus. Marquinhos e praticamente do culto Presbiteriano. Sua eleição foi o presente a ela que aniversariou exatamente no dia 15 de dezembro. Marquinhos nasceu em Itu, aos 6 de fevereiro de 1968 , é casado com Maria Shirley e tem uma filha
Ele afirma que a experiência como líder de Governo, o fortaleceu na relação com os vereadores e espera poder liderar do lado do Poder Legislativo, uma relação harmoniosa com o Poder Executivo.
Marquinhos espera ter a colaboração dos colegas e da sociedade para a nova tarefa politica
O novo presidente , é formado em educação física pela Pucc de Campinas e jogou futebol nas categorias de base , tem se destacado em equipes do Guarani e do Ituano.O futebol tem sido um rico aprendizado ao novo presidente que entende que cada um tem um papel no grupo e na posição que ocupa, bastando que cada um faça sua parte para que o time alcance resultados positivos.
Está no terceiro mandato, sempre pelo PTB e sempre se manteve leal ao seu grupo político. Ele avalia que passado o processo de escolha, cada vereador deve se preocupar com seu papel diante da sociedade e ele como presidente vai se emprenhar para oferecer condições para que todos possam exercer seus mandatos.
Marquinhos pretende realizar um planejamento para adequar o prédio da Câmara para a nova legislatura porque em 2011 , a cada terá 15 vereadores ,invés dos dez atuais.

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Política dos Bastidores - Os Sapos

Política dos Bastidores


Por: Miguel Samuel de Araújo



Filhos !...


Atentai – vos

Não vos assusteis se os sapos se unirem para devorar a cobra. É na ordem da natureza Quem já foi girino, não perde a oportunidade de usar as perninhas para ampliar o raio do pulo. Assim foi nos tempos de Moisés que foi rejeitado pelos seus depois que se ausentou para escrever os Dez Mandamentos numa tábua. Com o tempo o Senhor apaziguou os ânimos. Diz à história que com o tempo, os rebeldes preferiram construir um bezerro de ouro para adorá-lo porque esse não cobrava nada, não falava e só brilhava. Assim, a queda de Menina de Ouro na entrada da cidade, provocou uma rebelião sem precedentes, mas com o tempo tudo há de se normalizar.


Na política
As coisa acontecem dentro de uma certa dinâmica difícil de explicar, mas fácil de perceber. Há dois anos, mesmo com um baita orçamento, a cidade estava em estado de calamidade administrativa por conta da herança do ex- prefeito. Passados quatro semestres, a metade da gestão, tudo parece se organizar para bons resultados.


Disputas

O ambiente das disputas é natural e o uso dos mecanismos disponíveis como rádios, ações políticas e administrativas, o jogo jurídico e a influência de vereadores para interesses. Tudo faz parte. Com isso, o povo se beneficia e aprende como funciona os bastidores do poder.



Algo estranho




O assessor especial do Gabinete do prefeito José Pavan Júnior e ex- colaborador do antecessor Edson Moura, João Natanael de Souza , diz que não compreendeu ainda as reclamações de vereadores da base aliada, principalmente dos que conviveram com Moura. O ex- prefeito não dava nem bola para vereador e quando mandava projeto para ser aprovado, ninguém podia sequer levantar o dedinho contra.


Algo estranho II
Agora com Pavan, ás vezes os aliados parecem opositores ferrenhos e depois correm buscar o guaraná no dia da festa. Natanael entende que o vereador da oposição está no direito de criticar porque não participa das beneses do poder e assim tem sido desde o início da administração. Nata diz que vai começar contar quais as tratativas de cada vereador da situação com o governo.



O H Júnior contou
Segundo o operador financeiro Henry, conhecido como H Júnior, o ex- prefeito Edson Moura não conseguiu montar sua usina de álcool no estado do Tocantins. H Júnior afirma que seus negócios melhoraram e muito depois que se afastou de alguns políticos da cidade e chega a citar nomes em pequenas rodas de cafezinho. Ele foi do PT e depois do PTB, mas agora está sem partido.


Precariedade
Não precisa dizer que Saúde está um caos, todos sabem e o Sindicato tem dito em seu informativo e o Eduardinho da Rádio vem malhando há tempos. Mas tem gente insistindo para escrever aqui. Outro dia, deparamos com um boca aberta, destes que adoram dirigir nossa pauta e ele disse que esse jornal está vendido para o governo. E o imbecil a serviço de quem está?

A Saúde X Humanização
É um problema da secretária Mônica Rosa que deve uma resposta administrativa para a falta de remédios, o sistema de atendimento, as condições de trabalho e as terceirizações. É verdade que reclamam de falta de recursos, coisa e tal. Mas humanização pode fazer com pouco. Basta que os gestores saibam escolher prioridades e não seguir a receita do Dr Almério, inspirada na bula do Taquaral.


Verdades
Neste canto expressamos nossa posição e estamos sempre abertos para respostas, contestações e retificações. Agora, o que irrita, é alguém insistir que somos mandados por esse ou aquele. Tem horas que dá vontade de dar um escracho nos que mandam perguntar quem está por trás do que escrevemos, viu? Invés de se emendar de vida, o tipo prefere vir contestar. Pra cima de moá? Oras, procure a rodilha onde derrubaste o pote . há , há !, há !... Sei de nada não!....




Nosso papel

Há mais de 20 anos estamos nisso e sustentamos o que escrevemos, respeitamos e preservamos nossas fontes e leitores e por isso que afirmamos com franqueza que setores do governo são lerdos demais, o que não quer dizer que estamos pedindo cabeças.


Mais umA próxima edição do Semanário de Atos Oficiais deverá trazer a exoneração de Jurandir Navarro, ex- vereador que estava em cargo de comissão na Secretaria de Obras.


Que erre Ú.....

Se num evento destes de final de ano os aliados e simpatizantes de Júnior Pavan estiverem reunidos, que evitem deixar frente a frente na mesma mesa, o coronel Furtado, Secretário de Segurança e Alberto Belan, peso pesado da campanha de 2008. É uma treta que vem desde a cidade de Sumaré, de onde ambos foram importados. A rigor, Belan estava para coordenar a campanha de Dixon Carvalho, do PT e na largada do processo bandeou para o outro lado, carregando consigo Sandro Caprino, Petson Paes e Ricardo Aguiar, todos dirigentes de pequenas legendas que deixaram à coligação liderada pelo PT.


Novo chefe


Nesta semana, mais precisamente na quarta- feira dia 15, será eleito o novo presidente da Câmara de Paulínia para o biênio 2011/2012. As candidaturas são articuladas de forma discreta e todos buscam o apoio do chefe do Executivo que oficialmente se declara neutro. No apagar das luzes de sua gestão, o atual presidente, Marquinhos da Fiorela, o Peixe renovou uma série de contratos de prestação de serviços com a casa, como se estivesse certa sua continuidade no cargo.






Avaliação:


Depois de usar a tribuna da Camâra, o Presidente do PT/Paulínia, fez uma avaliação política das eleições gerais na cidade com o vereador Cústodio Campos e a dirigente da Macro/Campinas Teresa Cristina.

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

A Política dos Bastidores - Mudança de Hábitos

A Política dos Bastidores

Por Miguel Samuel de Araújo


Mudança de Hábitos

Pela primeira vez, a coluna Bastidores da Política corre o risco de perder em preferência de leitores e em expectativas criadas nas vésperas da publicação, para o Semanário dos Atos Oficiais da Prefeitura. É que nas próximas edições, mais precisamente na parte dos atos do Poder Executivo, estarão relacionadas às pessoas que estão fora da equipe do prefeito José Pavan Júnior e já planejam o que fazer a partir de 2011 para ocupar o tempo que passavam no Palácio Feliz na rotina de ocupantes de cargos em comissão, os cobiçados CCs



Exonerados

Pelo que apuramos, pelo menos três já tiveram seus nomes confirmados pelo Departamento de Recursos. São: Vanderli Fachini, ex-chefe de Gabinete do ex- prefeito Edson Moura, Geraldo César de Araújo, que foi diretor de Departamento na Secretaria de Comércio e Indústria de Moura e Orcídia Gaeta de Mattos, ex- chefe do Pronto para o Trabalho e ultimamente diretora do Departamento de Emprego e Renda. Ela é cunhada de Regina Matos, esposa de Edson Moura. Outros nomes podem ser confirmados

Vida privada

Pelo menos, se quiser, Geraldo Araújo, já tem o que fazer pelos laços fortes que tem com o comando do Paulínia Shopping, onde ele é visto sempre dando dicas de gestão para Walter Costa, o Waltinho, empresário de produção áudio visual que é gerente do empreendimento e agora também acumula as tarefas do publicitário Bruno Wellington , que deixou o Departamento Marketing para cuidar de seus negócios pessoais.



Ajustes

Apuramos também que as exonerações se deram simplesmente pela incompatibilidade, estilo e modo de trabalhar. Se fosse numa fábrica, poderíamos dizer que não passou na experiência porque a produção estava baixa. Vocês entenderam né? Dos remanescentes do Moura, alguns estão dando conta do recado, mas se for ver certinho tem um pessoal que não dá no couro mesmo. E olhe que não é só assessor, tem até secretário e secretária que ciscam pra frente e jogam terra no colega, pode uma coisa dessa?

Todos sabem

João Natanael, Emerson Alves , Carolina Bordignon e outros entraram no pique do Pavan, mas tem alguns que ainda estão acordando tarde e por pouco não usam o uniformezinho composto de calça preta e blusa branca. Para esses, só vai cair a ficha de que o tempo passou e Moura se foi, ao verem os seus nomes publicados como exonerados com a assinatura de Junior Pavan no Semanário. São laços afetivos com o passado que os deixam imobilizados como a mulher de Ló. Talvez até sem perceber, eles são anjinhos mensageiros e obreiros do Reino do Taquaral que se envolvem na rede de intrigas e emperra tudo para o agrado do Papa

O tempo

Com isso, estamos verificando ainda rastros do modelo Almério dos Reis Aguiar na Saúde, onde não se chega a um acordo sobre a gestão, bem ao estilo do antecessor da titular Mônica Rosa. Almério não ouvia as representações legítimas da sociedade e enfiava tudo goela a baixo.



Time forte

Uma equipe coesa começa no Gabinete do Prefeito e passa obrigatoriamente pela Secretaria de Governo, cujo secretário deve saber apaziguar ânimos, estimular colegas e processar a interface entre os diversos setores do governo quando é preciso. Pedro Politano, o secretário de Governo que vem em cargos desde os tempos de Benedito Carvalho 85/90 sabe o que é isso.



Responsabilidade

Portanto, ele não pode nem pensar em tomar posição ou promover conflitos de interesses entre membros da administração ou vereadores. A postura dele tem que ser a de um algodão entre cristais, dentro de um caixote em ritmo de mudança.


Em poucos dias

Logo saberemos quem será o novo presidente da Câmara e aí pode mudar a correlação de forças para que a máquina pública funcione dentro da normalidade. Existe um estica e puxa pelo cargo e quem está na administração deve esperar o prefeito dar o start para se manifestar. Independente de qual vereador foi indicado, quem esta em cargos nomeado por Pavan é a ele que tem que se reportar. Do contrário só vai estorvar o andamento das coisas.


Desvio de Terra



O vereador Loira levantou na última sessão, uma questão um tanto séria que pouca gente percebeu. Ao se posicionar sobre o projeto de doação de área para uma empresa, ele denunciou que muitos não utilizam à área no prazo ou vende para outros. Loira lembrou que quando nem era vereador, ele recebeu uma área como doação do governo Dude Vedovello 97/ 2.000, foi criticado por vereadores da época, mas usou o imóvel para montar sua oficina que hoje gera mais de 40 empregos.


Melhorias no centro

O secretario do Planejamento Esdras Pavan, informou que a prefeitura vai fazer um projeto para resolver o estado de abandono do centro da cidade onde Moura queria fazer a Pirâmide de Cristal sobre a Igreja São Bento. Embora afirme que irá ouvir a Igreja, Comerciantes e Sociedade Civil, o projeto da Prefeitura e não da Associação Comercial ou da AMA Paulínia, como chegou a ser cogitado.
Em reunião realizada no mês passado, o presidente da AMA, Valmor Amorim e mais dois assessores e parceiros em projeto, o arquiteto Izaque Vandergor e o economista Adalberto da Conceição Leal apresentaram uma ideia, mas ela não deverá prosperar. Esdras disse que o prefeito vai decidir pela proposta que for mais viável para os interesses dos comerciantes do centro.


Piratininga

Recuperada do baque que a levou para o Centro Médico, e que a obrigou a ficar afastada das atividades por mais de uma semana, a vereadora Siméia Zanon fez um tour até a cidade de Itapetininga para conhecer a empresa que se propõe a gerir a farmácia de manipulação e outros serviços. O projeto polêmico ainda não foi votado nem em primeira discussão porque está na Comissão de Justiça da qual ela é relatora.


Polêmica


O projeto gerou uma polêmica porque conselheiros da Saúde questionam alguns itens sobre a terceirização. Da parte do governo, o questionamento é aos vereadores da base aliada que seguram o projeto na Comissão. Assessores de Pavan avaliam que tem vereador seguindo a bula do Taquaral.

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Demitidos de usina de Moura cobram indenização

Ex – funcionários entram na justiça contra ex – prefeito de Paulínia para receber salários atrasados

Funcionários demitidos em junho deste ano da usina Biosauro Alcoóis e Biodiesel, administrada pelo ex – prefeito de Paulínia Edson Moura, localizada em Guararapes, a 476 quilômetros de Campinas, acusam o ex-patrão de encerrar as atividades da empresa como salários atrasados e sem pagar os direitos trabalhistas.
Segundo os funcionários , em junho a usina encerrou as atividades e diversos equipamentos foram levados para uma outra usina no Tocantins.
A mulher de um ex-funcionário Y.S.B., conta que os trabalhadores vinham enfrentando atrasos de pagamentos de salários desde o ano passado. “Eles tinham feito várias greves devido a essa situação, mas eram pressionados e voltavam ao trabalho”, disse. Segundo ela, quando os funcionários foram demitidos descobriram que além dos salários atrasados, não havia depósitos de Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) nem do Instituto Nacional de Seguro Social (INSS), que eram descontados todo mês. “Os funcionários estão passando muita dificuldade, alguns estão com ordem de despejo porque não conseguem pagar o aluguel”, disse.
Os trabalhadores dizem que Moura assumiu a usina em 2005 e que os problemas começaram a ocorrer em junho de 2009. O eletricista Jucélio Correia Ferreira, de 30 anos, afirmou que trabalhou na usina durante cinco anos.
“Chegamos a ficar até quatro meses com pagamentos atrasados. Toda vez que perguntávamos sobre os salários, eles diziam que iriam regularizar a situação, mas nada aconteceu”, afirmou.
Para receber os pagamentos atrasados, férias, 13º salários e os direitos trabalhistas, praticamente todos os funcionários demitidos entraram na Justiça. “Alguns entraram com processos sozinhos, mas a maioria se dividiu em grupos de 15 a 20 funcionários e entrou com ação coletiva.
“A situação ficou insustentável. Eu só recebi R$500,00 de FGTS”, disse o operador de caldeiras Sancho Custódio Jorge Filho, de 40 anos.
O advogado do ex-prefeito, Arthur Augusto Campos Freire, disse que a usina não mudou de lugar. Segundo ele, o grupo parou de operar em Guararapes e preferiu investir em Tocantins, já que o local possui mais cana-de-açúcar. ”Não pedimos falência. Existem diversas ações judiciais que estão sendo discutidas. Os funcionários estão questionando valores e assim que a Justiça determinar o que é correto vamos pagar o que for devido”, afirmou.
A reportagem da Agência Anhanguera de Noticias (ANN) entrou em contato com a Justiça do Trabalho de Araçatuba, que avalia as ações movidas pelos demitidos, mas até o fechamento desta edição não obteve retorno. (Luciana Brunca/ Da Agência Anhanguera)

sábado, 27 de novembro de 2010

A política de Bastidores - PV X Pavan

A política de Bastidores


Por Miguel Samuel de Araújo


PV X Pavan


O movimento reivindicatório dos servidores municipais de Paulínia, expõe de forma sutil uma disputa politica entre pessoas do comando do Sindicato , filiadas ao Partido Verde e o prefeito José Pavan Júnior do DEM, o que não seria de se estranhar. Historicamente , o movimento sindical é marcado pela disputa de poder. Foi assim no Brasil dos tempos de Getúlio Vargas nas décadas de 30 e 40, depois nas décadas de 60 e 70, a ditadura militar sufocou o movimento , matando e prendendo lideranças . Só os pelegos que faziam jogo de patrões se curvando aos milicos.

Conjuntura política

Já no final dos anos 70, mais precisamente nas décadas seguintes, (80 e 90)-, o sindicalismo se fortalece e reacende a tocha na figura de Luiz Inácio que em 2002 se torna o Presidente da República. Essa é a história. Os trabalhadores representam a mão – de obra , a força produtiva que move a economia de acordo com a correlação de força posta para a sociedade em cada momento.

Democracia




O período Luis Inácio , inaugura uma nova etapa de abertura da sociedade que vai se expandindo, com novos mecanismos de participação, como o projeto do deputado estadual Antônio Mentor que cria o Conselho Estadual de Comunicação Social. No dia 8 de dezembro haverá audiência pública sobre o tema na Assembléia Legislativa de São Paulo

Sendo assim, um fato normal
Não há como negar que nas eleições de 2008, da parte do Sindicato dos Servidores, Eudinei Cabral, presidente; Reginaldo Lopes, tesoureiro e o advogado do Sindicato Jamir Menalli, este presidente do PV -, foram articuladores da campanha do médico Marcos Teixeira para prefeito pela legenda dos Verdes.

Peso político

Embora a votação tenha sido bem menor do que era esperado , não tem como esconder que os votos do DR Marcos foram decisivos para a vitória de Pavan que ganhou de Dixon Carvalho por uma pequena diferença de votos. Nos meios, fala-se abertamente que Cabral , Lopes e principalmente Menalli como presidente, tiveram influência na decisão do PV/ Paulinia para que este não se coligasse com o PT, que teve como candidato Dixon Carvalho.

As relações

O que precisa ser compreendido que a relação entre patrão e empregado no mundo capitalista , não pode ser da mesma maneira que se relacionam servidor e gestor público. Nos dias atuais, dentro do serviço público , o relacionamento tem que ser democrático e respeitoso porque o gestor no caso, o prefeito-. não pode ser visto como um patrão que aufere lucro, mas alguém que administra para todos. Logo tanto o prefeito como os servidores, estão a serviço do povo por um período determinado. Portanto, não há no mundo moderno espaço para prefeito autoritário e muito menos para sindicalista porra louca. Que é preciso aprimorar o sistema, todos nós sabemos, mas temos que levar em conta as questões da execução orçamentária e as questões jurídicas.


Peso político II

O que está escrito aqui, pode ser contestado. Para tanto, basta escrever para a coluna. . A verdade é que a central de boatos dispara suas considerações , concluindo que no fundo, mas bem lá no fundo mesmo, os Verdes, liderados por Menalli, estão descontentes com o prefeito Júnior Pavan que não colocou gente do PV na administração, embora os números mostram que matematicamente falando, o PV impôs a derrota a Dixon , abrindo o caminho de Pavan, num processo que teria sido muito bem articulado por gente do ex- prefeito Edson Moura, na época aliado de Pavan e lider da campanha.

Fumaça e fogo

Embora, não possa afirmar categoricamente que o movimento grevista, liderado por Cabral e Menalli, tenha sido cobrança de fatura, não tem como esconder que o Programa do Eduardinho da Rádio, uma espécie de porta voz dos Moura , deu cobertura total , com apoio amplo e irrestrito para toda a movimentação. Ele abriu os microfones para quem quisesse se manifestar a favor. È possível que tudo também seja conjectura, mas se sobrasse uma chance, com certeza alguém ia pegar carona na onda do movimento para cobrar aquela feijoada que custou caro que e não foi combinado quem tinha que pagar

Sinal da antena

A participação da vice –prefeita Simone Moura e a presença do ex- vereador Emerson Gordura , legitimas crias políticas de Moura, com DNA e feição-, no Programa do Eduardinho , dando apoio aos servidores, sinaliza para as considerações dos que acompanham de perto tudo o que rola na política de bastidores. Fosse então Edson Moura, o prefeito, esses passariam longe da rádio e até usariam protetor auricular para não ouvir o barulho, há !, há ! , hà !...

È o vento que balança a folha.

Na verdade, o pleito dos trabalhadores tem legitimidade , são eles que ás vezes matam um leão por dia para atender o povo. Por isso, os que trabalham com seriedade estão o direito. È verdade também o que diz Eduardinho da Rádio -, que o seu Programa presta um serviço á sociedade ao informar o que acontece. Sob o ponto de vista dele , é claro. Nós oferecemos aqui, algumas considerações para que leitores esclarecidos formem opinião sobre fatos, ao contrário do que fazem os tontos que preferem brigar com a gente do que refletir sobre as coisas. Ainda tem esse tipo. Eu pago o preço por escrever para a minoria que pensa . A gente toma porrada e dá risada , há !, há !, há! , há !...

È o vento que balança a folha II

No embalo da tempestade que se arma, vereador agarra na folha da bananeira e vai no barulho sem ver o buraco onde estão se metendo. Como pode alguém que tem muitos cargos de comissão ( de CC1 a CC ¨6) , na Prefeitura querer discutir o tamanho da folha de pagamento. Só os cargos deles lota o plenário da Câmara. Agora imagine se o prefeito enxugar a folha para melhorar para os servidores de carreira , o que acontece

È o forró do arriba saia

È como um movimento de quadril que vai mostrando tudo , as curvas e balançando as pelanquinhas, tudo de forma muito sutil. A fala de Francisco Bonavita na última sessão, já colocou os corneteiros de bastidores de olho nos cargos nomeados por Pavan, todos indicados por ele. Se o atual prefeito seguir a linha do antecessor, cabeças podem rolar

No passado

A espinagrafada de Bonavita na administração Pavan e a presença em massa dos serviodores na Câmara, Reforça a tese de que estamos no caminho da democracia nas relações . Em outros tempos , o vereador era capaz de sair na mão com os grevistas, como aconteceu uma vez entre Bonavita e Vonei Amorim, tudo para defender o prefeito. Isso é fato que precisamos lembrar

Dois senhores

A exemplo de Bonavita, Siméia Zanon , está em saia justa por causa de laços com o passado. Eles vivem com o coração e mente no divisor de águas entre o Palácio Cidade Feliz e a mansão do Taquaral em Campinas. Lá funciona uma espécie de Vaticano, de onde vira e mexe o Papa do Ibrafem sai na janela para ditar suas bulas. De lá, tudo é movido pelo poder da fé mesmo, money que é good não have, mesmo certo ? È assim o inglês do pontífice. Agora , do Palácio Cidade Feliz , emana o poder da caneta do prefeito gordinho

Mãe de quem né ?

Interessante para o momento em que estamos vivendo a observação de um servidor que se apresenta numa carta aberta como Rogério Douglas de Sousa. Para justificar sua tese, ele busca no Evangelho de João 8, capitulo 44 que diz “ Vós tendes por pai ao diabo, e quereis satisfazer os desejos de vosso pai: ele foi homicida desde o princípio, e não há verdade nele; quando ele profere mentira fala do que lhe é próprio porque é mentiroso, é pai da mentira “... Ora , se o diabo é o pai da mentira, quem é a mãe, né ?

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Por Miguel Samuel de Araújo - Servidores e servidoras

Bastidores

Por Miguel Samuel de Araújo



Servidores e servidoras


A relação entre o pessoal que se empenha para executar e colocar na prática as políticas públicas municipais elaboradas para atender as necessidades dos munícipes e a chefia do Poder Executivo, está sob tensão . De um lado, os servidores e as servidoras, de vários segmentos cobram o atendimento a uma extensa pauta reivindicações. Do outro, a administração faz suas contas e mostra no seu ponto de vista até onde pode avançar nas negociações.


Relações democráticas


O Sindicato dos Servidores foi fundado em fevereiro de 1990. Com a promulgação da Constituição de 88, foi assegurado o direito de organização de trabalhadores do serviço público em Sindicato. O prefeito da época era José Pavan Júnior e hoje novamente como prefeito, ele negocia as reivindicações com o Sindicato.

Direitos e cidadania

Há que se compreender a legitimidade do movimento e registrar que se estivéssemos em outra conjuntura não muito distante já tinha ocorrido represálias. Não faz muito tempo, tivemos um prefeito que meteu o dedo nos Guardas Municipais e ameaçou extinguir a corporação e mandar todos para o meio da rua, só porque eles se mobilizaram por seus direitos. Em outra ocasião, esse mesmo prefeito convocou os servidores no Ginásio de Esportes e chamou os dirigentes do Sindicato de babacas. Lembram disso?

O povo

O cidadão e a cidadã não podem ficar no prejuízo por conta do conflito que ora se instala e sendo assim, a sociedade também vai aprendendo um pouco de política e separando a politicagem do que é fato verdadeiro

História

Nada surge por acaso. A situação precária em que alguns setores da máquina pública se encontra, é fruto de um modelo político que não vem de agora , o que não se justifica o fato de não haver uma proposta clara e um acerto entre as partes , com um cronograma de ações e assim ir zerando cada ponto reivindicado . Há meses que o presidente do Sindicato, Eudinei Cabral e o advogado Jamir Menalli vem se reunindo com o prefeito José Pavan Júnior e seus secretários .

História II


O próprio Júnior Pavan já nos disse que tanto Cabral, como Menalli sabem muito bem até onde é possível chegar nas negociações. Tomara que desta vez, seja ampliada a representatividade dos servidores na mesa das negociações porque embora sejam representantes legítimos, só Cabral, Menalli e quando muito Reginaldo Lopes na assessoria, a democratizar a informação com o conjunto da categoria, fica prejudicada apesar do esforço de Menalli em seu palavrório.




Eficientes

Tanto os professores, como os servidores de outros segmentos da Educação, bem como os profissionais dos diversos setores da Secretaria da Saúde, tem se revelado capazes para formular propostas específicas de soluções em suas respectivas áreas

Políticos

Diferentemente de outras categorias, o servidor público de Paulínia, é politizado e muito esclarecido quanto aos seus deveres e direitos. Eles conhecem seus lideres e sabem das disputas pelo comando do Sindicato entre os grupos liderados por Iria Onira e Eudinei Cabral, fato que não pode passar sem registro. O sindicato é instituição legítima e dever ser cada vez mais fortalecido com a participação dos sócios.


Palavrório

O servidor da Secretaria da Educação, que se identifica, como Rogério Douglas Pedro de Souza, desabafa em carta aberta enviada pela internet que não estamos em Estado de Ditadura e que podemos expressar nossas vontades e que a situação da Educação, só não está pior por causa da dedicação e empenho de cada servidor. Não podia ser diferente.


Cadê a memória, meu?

O ex- vereador, ex- presidente da Câmara e ex-secretário de Habitação, nos tempos de Edson Moura-, esteve na quinta- feira no Programa do Eduardinho da Rádio para espinafrar a administração de Júnior Pavan. Aqui, não estamos para defender esse ou atacar aquele. Só que ouvir criticas de Gordura sobre a política habitacional de Junior Pavan, é ouvir um show de humor pelo rádio, há !, há !, há !...


A fã

Entre os telefonemas recebidos pela produção, o destaque ficou para a vice-prefeita Simone Moura (PMDB) que endossou as palavras de Gordura e se declarou fã das educadoras infantis , hipotecando apoio á luta delas que a seu ver é justa pelo que elas fazem pelas nossas crianças

Sem férias

Só que Simone aproveitou o gancho para dizer que também apóia as mães que precisam trabalhar e não tem com quem deixar seus filhos e por isso pregou o fim do recesso das educadoras.

Que coisa, não!..



Simone disse que sofre muito com o povo e reclama que Pavan não a deixa resolve-los. Antes de desligar o telefone, ela foi convidada a comparecer ao vivo no Programa do Eduardinho da Rádio para falar de suas angustias por ver o povo sofrer e suas mágoas de Júnior Pavan que a impede de trabalhar

O presidente

Gordura lembrou que quando presidente da Câmara, construiu refeitório, realizou obras e colocou em dia o Fundo de Garantia dos Funcionários. Entre as obras deles, destaca-se a creche, os monumentos para a Bíblia, a Constituição e para a Lei Orgânica, além daquele monte de ferro que só funcionou como mastros de bandeiras no dia da inauguração.

Seus feitos


Na prestação de contas, ele se esqueceu de contar quantas casas ele deu para o povo, como secretário de Habitação nos tempos de Moura. Sabe-se que ele deu alguns terrenos pelos lados do Jardim Amélia e gerou polêmica. Foi nessa época que muitas famílias ocuparam as terras da Granja Coavi e da Fazenda Paraíso. Ou não foi isso?


Orçamento de 2011 está estimado em R$ 892.165.140,00

Já está na Câmara de Paulínia, a peça orçamentária para 2011 – que está em estudos para ser votado com as devidas emendas produzidas. O vereador Custódio Campos do PT tem ouvido lideranças da sociedade civil interessadas em compreender o processo de construção da peça orçamentária que para 2011 poderá chegar a R$ 1 bi.

As famílias


Ao contrário do que foi dito no Programa do Eduardinho, a Secretaria da Promoção Social de Paulínia, acompanha o processo de reintegração de posse da Granja Coavi. Segundo a diretora Clélia Sandra tanto da parte dos técnicos como da secretária Ilda Orágio, as famílias de Paulínia que lá viviam estão atendidas dentro das diretrizes da Assistência Social

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

A Politica dos Bastidores - Dilemas

Política dos Bastidores
Por Miguel Samuel de Araujo


Dilemas
Depois de tudo o que rolou nos últimos dias, o principal desafio e tarefa da classe política está em construir ou aprimorar suas propostas de comunicação com a sociedade. O palavrório que ouvimos na última Sessão Ordinária da terça- feira , dia 9 no Expediente das Comunicações da Casa, quando eles usam o tempo livremente-, deu para perceber que no ânimo das narrativas e muitas das vezes no intuito de agradar eleitores presentes ,acabam escorregando nas palavras

Ao vento
Uma vez dito, não há como correr atrás porque a interpretação de quem ouviu não retroage, ou seja explica e não justifica. O vereador Francisco Bonavita (PMDB) esclareceu que não é contra o prefeito José Pavan Júnior, nem contra a administração dele e muito pelo contrário, fez apenas um alerta de que as coisas não vão bem
Para lembrar
Na Sessão anterior, Bonavita disse que fica envergonhado diante de eleitores para os quais pediu voto em 2008 e quer um téte a téte com prefeito para contar o que acontece. Por certo, pelo que Bona diz, Pavan não sabe ou está blindado por assessores .

O impacto
Custódio Campos (PT) também explicou que foi mal interpretado quando se referiu ao Extra Supermercado, inaugurado na quarta-feira dia 10. O vereador explicou que pediu para que a administração realize um estudo do impacto que novos empreendimentos podem provocar na economia e que parabeniza a rede por instalar na cidade . Na verdade, o Extra agradou o consumidor com mais uma opção de compras , como bem reconhece o vereador. Só que também surpreendeu os supermercados já existentes que podem precisar dispensar funcionários por causa da nova conjuntura

Nesta linha

Ficou uma dúvida quanto ao posicionamento do presidente da Associação Comercial, Wilson Machado que estampou em manchete de seu Jornal O Tribuna com suas reservas quanto ao Extra na cidade. Sinceridade , a política de empreendedorismo do Wilson da Tribuna que não foi nem na inauguração do Banco do Povo, onde esteve presente entre outros, o deputado federal Guilherme Campos (DEM) que se projetou politicamente como presidente da Associação Comercial e Industrial de Campinas.
Política
Campos elogiou outras medidas de Pavan como o renda família por ser uma ação social que movimenta a economia.
Candidato em 2012
Como Wilson Machado também tem se declarado político com ambições de disputa e é braço forte do campo do ex- prefeito Edson Moura, é possível que ele tenha outra proposta de administração. Moura por exemplo, ignorava o discurso de prioridade ao social que Pavan faz atualmente. Ele sempre foi chegado mesmo, é em cadastrar o povo no Caco para ganhar cesta básica e outra ajudinhas, há !, há !, há!...

O susto
Depois das polêmica Sessão Ordinária da Terça- feira, a vereadora Siméia Zanom passou mal numa reunião com o prefeito e vereadores . Ela foi internada no Centro Médico de Campinas , onde deve ficar até na próxima semana ,segundo informou sua assessoria.

Justificativa
Na sessão, foi aprovado um requerimento de autoria dela para que a secretária de Educação Estela Sigristi compareça á Casa , para justificar por que não atendeu o convite da vereadora. Em nota á imprensa, Siméia disse que por telefone, o prefeito Junior Pavan teria dito que a secretária estava desautorizada de ir na reunião.
O que diz o outro lado
A assessoria da prefeitura informou que a reunião entre Pavan e vereadores , realizada na quarta- fira dia 10, já estava agendada antes do impasse ocorrido na Sessão da terça- feira

Fino trato
O cara que vos escreve se declara satisfeito com a nota publicada na coluna do Tuim nesta semana que explica uma polêmica em torno do meu nome por causa de uma foto minha que foi publicada, pelo próprio Tuim no Jornal dele no mês julho. A notinha foi esclarecedora por revelar o modo como algumas pessoas fazem política em Paulinia

Ser social
Na foto, estou em pose ao lado do prefeito Júnior Pavan durante o evento do Programa de Ação Social, o PAS. Educado que sou desde o berço, não ia deixar de cumprimentar o prefeito da cidade, certo ?

Viva o Tiririca
Uma coisa as pessoas precisam aprender de vez. A participação do Palhaço Tiririca no processo de eleições de 2010, revelou o preconceito enrustido que algumas pessoas guardam dentro do coração , embora preguem o contrário. Ao todo ele teve 1 milhão e 300 mil votos e ajudou a coligação liderada pelo PT. Nós fomos durante atacados por publicar uma charge do abestado que teve cerca de 4 mil votos na cidade, sem gastar um tostãozinho, enquanto gente engomada torrou grana , colocou malucos sacudindo bandeiras ao logo da avenida para ter bem menos votos.
Só alegria
O jornalista Luis Nassifi publicou um poema sobre o polêmico processo que só confirmou o preconceito contra esse artista brasileiro que só agrada quem vice sob a ausência de senso de humor.

Partidos na Tribuna
Depois da brilhante fala do presidente do PMDB Danilo Garcia, vai formar fila de presidentes de legendas para usar a Tribuna da Câmara, como Cícero de Brito, do PR,João Natanael , do PTB; Laércio Geampaulo do PSDC, Petson Paes , do PPS entre outros. Todos vão se posicionar sobre a cidade, mas que fique registrado que Danilo foi o autor da proposta de um fórum para discutir a cidade , envolvendo partidos e organismos da sociedade civil.

Partidos em negociação
Para o próximo ano, muitos se prepararam para organizar partidos políticos com vistas as próximas eleições, muitos deles só para negociar alguma coisa. Reconhecemos que existem muitas lideranças reconhecidas nesse processo , mas também não faltam paraquedistas..

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Politica dos Bastidore - Paulínia e o Projeto Brasil

A Política dos Bastidores


Por

Miguel Samuel de Araújo


Paulínia e o Projeto Brasil


Passado todo o processo eleitoral, as lideranças políticas se reorganizam para conviver com o resultado. No caso da eleição da presidente da República, é normal que os prefeitos busquem o realinhamento com os órgãos do governo federal para a continuidade de protocolos firmados para a execução de projetos da cidade. Paulínia está inserida nesse contexto, o que chama a atenção de todos os que se interessam pelas políticas públicas locais.


O Mapa

A composição das bancadas na Câmara Federal, os prefeitos devem se orientar para garantir emendas e aprovação de projetos. Na legislatura que começa no ano que vem, o quadro mostra a correlação de forças na Casa, o que vai refletir no encaminhamento das políticas públicas da cidade


Neste sentido

Se de um lado presidente Dilma se articula com forças aliadas para montar seu time, por aqui, é preciso avaliar o time para ver os motivos que levam o emperramento de alguns projetos nos gabinetes enquanto o tempo passa. Por mais que ainda haja quem diga que isso é problema do prefeito, o cidadão e a cidadã estão no direito de manifestar sua preocupação porque o conjunto de ações de governo diz respeito a todos A administração compreende de um período de oito semestres dos quais quatro se foram

Projetos sociais

Sendo considerado o discurso do prefeito José Pavan Júnior, sobre suas prioridades e levando em conta o empenho dele para parcelar dívidas, resolver pendengas do passado e restabelecer a credibilidade da administração municipal perante agentes financeiros, agora a boa interlocução com órgãos federais ajudam deslanchar projetos no campo da moradia, da saúde , da educação e outros que dependem de repasse de recursos. È que nem a democracia corintiana. Se cada um do time fizer o seu papel e jogar junto tem sucesso. Agora, se virar cornetagem já era

Nosso carteado

Sem escrúpulos e acostumados levar o povo como se estivessem a conduzir um rebanho ao tosqueador, alguns opositores querem que a coluna Política de Bastidores aposte no jogo do quanto pior melhor. No entanto, esquecem os imbecis que a começar pelo cara que aqui escreve, bem como todos os demais cidadãos e cidadãs que vivem em Paulínia, ou que com ela tem algum laço –torcem para o sucesso das iniciativas no campo social, ao contrário dos que querem o poder a qualquer preço. È que, de tanto que usaram o povo como marionetes, aos poucos estão virando cartas fora do baralho da política e por isso berram como bode vendo relâmpago reluzir no céu.

Na verdade

Os avanços das tecnologias de informação que amplia a facilidade de acompanhamento das rotinas torna o povo mais esperto. Nessa linha, só um imbecil pode ir contra a iniciativa do prefeito Junior Pavan de assegurar condições de acesso a internet para todos. Os opositores tiveram tempo para implantar isso tudo e muito mais, porém elegeram outras prioridades.

Comparação

Os tempos são outros e a realidade também. Ser de oposição com projetos claros apontando outros modelos e formas de fazer as coisas é mais do que legítimo. Não vale a critica pela critica só porque está fora

Análise

A administração atual não é o refino do puro sumo de tangerina. É produto da composição de água de coco, caldo de cana , mocotó e rapadura que é doce mais não é mole.. Disso todo mundo sabe. Agora não venham com essa conversinha de que o afastamento do grupo de Moura do pessoal do Júnior fez piorar as coisas. Elas só não estão melhores por causa do time que o próprio Pavan montou, que com todo o respeito, tem horas que parece mais um gelatina que ainda não entrou no ponto. È nosso opinião


Desafinado

Não se trata de nome da obra de Tom Jobim, mas do PMDB de Paulínia, cujo líder grande é Moura que apoiou Serra, mesmo sendo o partido do vice- presidente eleito Michel Temer. Daí, ainda vem os boateiros dizendo que Temer vai ajudar Moura nas eleições de 2012. Pelo que apuramos, Moura apoiou Serra para pirraçar o vice- de Dilma que não o ajudou em algumas paradas em Brasília. E do jeito que a coisa vai, se depender da mão de Temer, Moura vai é para outro lugar que nem vamos dizer aqui onde é ,há !, há ! , há !,,,,


Outras legendas

Os quase 20 partidos que participaram do processo eleitoral de 2008 em Paulínia, estão em via de rearticulação, muitos dos quais com gente nova na testa, uns mais fortes, outros com menos força, mas a verdade é que conversamos com lideranças regionais e estaduais de alguns destes e apuramos que o interesse pelo poder em Paulínia tem preço de ouro ou pérolas de osso de ostras que podem ser traduzidas em garoupas. Esse é um recado que damos diretamente para os que sabem lidar com o tempero da mortadela. Não reclamem depois

Como fica?

Se mesmo no PMDB, o vereador Bonavita é considerado um líder do PTB, partido do deputado estadual Campos Machado em Paulínia , como bem disse a vice- presidente Kika Valadão, certamente precisar uma conversinha de afinar a sanfona com prefeito é o secretário Geraldo Nasário, uma espécie de fiador político de Bona. Campos apóia cabelo e barba de Junior Pavan, o PTB tem João Natanael e outros lideres de peso.

Rachado

O presidente do PMDB de Paulínia Danilo Garcia, que foi candidato a deputado estadual nada deve aos caciques da legenda. Bonavita apoiou Campos Machado, Moura apoiou Jaiminho e Jurandir Matos correu por fora.


Mulheres no comando


Das 21 secretarias Municipais, Paulínia tem seis delas ocupadas por mulheres que em que pese nossas análises feitas aqui em tópicos anteriores, elas desempenham seus afazeres. São elas: Carolina Bordignon, nas finanças; Hilda Orágio na Promoção Social; Mônica Rosa Focesi; na Saúde; Rita Coelho , na Criança e Adolescente; Dona Iraci na Receita e Estela Sigristi na Educação.


Turbulência



A Secretaria da Educação passa por um processo de turbulência por conta das mudanças que a Secretária Estela vem processando. A remoção de diretoras deu urticária em quem estava já habituada em seus espaços, mulheres já com idade de aposentar. Apesar dos problemas, Paulínia contraria os índices que apontam a Educação como o setor que puxou o IDH para baixo. A secretária Estela rema contra a maré, não deixa o barco afundar e ainda tem memórias para justificar seus atos

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

A Politica dos Bastidores - Tudo é Marketing

A Política dos Bastidores

Miguel Samuel de Araújo


Tudo é marketing


Na política moderna, as estratégias de comunicação definem os rumos de todo o processo político. Por isso, cada um deve saber o que apresentar e planejar antes de executar. Se o candidato à presidência, José Serra explorasse de outra maneira o episódio do Rio de Janeiro, aquele objeto ou bolinha de papel que caiu nele não daria tanta dor de cabeça. Uma coisinha simples.



Falando nisso

O prefeito José Pavan Júnior esteve em Campinas, mais precisamente na região do Ouro Verde no encontro promovido pela campanha do candidato tucano. Eles estavam acompanhados do assessor João Natanael de Souza que dispensou o capacete na caminhada, como quem está preparado para cabecear qualquer objeto que seja arremessado contra ele.


Torneira Seca?

Próprio de seu estilo combativo diante de casos de inoperância da Sabesp, o vereador Francisco Bonavita (PMDB) surpreendeu pelo tom de seu palavrório na última Sessão Ordinária, na última terça, dia 26 de outubro.

Castanha & Cajú

Num jeito típico de cearense que cresceu ouvindo os gritos dos vaqueiros e cantoria de repentistas em suas mensagens e desafios, na Tribuna da Câmara, o “Moço” mais parecia rezar uma ladainha ou cantar um terço de novena para pedir chuva, do que fazer um alerta para as posições diante de problemas da cidade que a população reclama. Bonavita fez um dueto com Custódio Campos (PT) que manteve sua linha crítica de opositor.

Asa branca

Por pouco Bona que cumpre o quinto mandato, não anunciou a retirada do sertão, mas de coração apertado deixou transparecer a paciência de quem espera a chuva cair de novo. O vereador disse que já está em vias de passar vergonha diante de eleitores por não ter como resolver problemas de fácil solução, como a falta de remédios nos postinhos e das demoras para a marcação de consultas. Ele destacou que não responsabiliza ninguém isoladamente. Disse não saber se a culpa está na secretária de Saúde, no Gabinete do prefeito ou na Secretaria de Recursos, mas que problemas não faltam e são muitos.

Dois pra lá e dois pra cá

Jurandir Matos (PMDB) e Gustavo Yatecola (PSDC) reforçaram as falas. Yatecola disse ser muito cobrado nas questões relacionadas com a área da saúde por ser também médico do quadro de funcionários municipais e que mesmo no exercício do mandato, pouco pode fazer pelos usuários do sistema e pelos funcionários

Gota d´água

Poucos perceberam o lance em que Marquinhos da Fiorela (PP), o Peixe, deixou por alguns minutos presidência da Sessão, para o vice-Marquinhos da Bola. Este devolveu a palavra a Bonavita que pronto cutucou a zabumba: Nossa como troca rápido de presidente? Bona explicou que, ao dizer que não fala com o prefeito José Pavan Junior desde agosto do ano passado, não quer dizer que ele não tenha ido a eventos públicos e trocado abraços e apertos de mão com o Chefe. Só que ele não o recebe para um téte a téte.

O jogo

Daí fica ver como Bonavita sabe levar as coisas na maciota, tanto que ele também aproveitou o expediente na Tribuna para externar sua alegria com o sucesso do Paulínia Futebol Clube, o time de futebol que é a menina de seus olhos. O vereador agradeceu a todos e reiterou o pedido de apoio do prefeito e dos órgãos da administração no sentido de tomar os procedimentos necessários para atender as exigências da Federação Paulista de Futebol para as disputas da A3 -, como reformas e ampliação do estádio dentro dos padrões.

Linha de fundo

Muitos anos no futebol amador e mais recente no profissional, o vereador usa a estrutura desse esporte popular na política e faz de cada sessão de Câmara um verdadeiro rachão para testar a resistência dos demais. Às vezes, ele finaliza jogadas muito rapidamente e chuta na trave deixando o rebote para Custódio, que sem ter para quem passar a bola, também chuta fora para a sorte do outro time, mas que não deixa com isso de arrancar suspiros da galera que acompanha atentamente cada lance.

Entrelinhas

Pessoal, a gente usa um linguajar incomum para ser interpretado na política pelos mais atentos e esses devem abri os olhos dos mais simples. Mas vejam bem. Está em jogo a escolha do novo presidente da Câmara para o biênio 2011 /2012 e até o mês que vem a chuva poderá de vir na medida. As cisternas e reservatórios serão reabastecidas. Sendo assim, os gulosos que engolem tudo muito rápido podem se engasgar com a tapioca.

É só prestar a atenção

Uma administração consta de um período de oito semestres dos quais a metade se foi. O s dois primeiros, ficaram por conta da organização da equipe e das composições. No terceiro e quarto semestre, a administração precisa deixar claro para onde precisa ir e até onde deve chegar até o apagar das luzes. Agora para isso, é preciso ter claro com quem ela conta a partir de agora. Esse raciocínio vale também para os que estão fora do governo nas expectativas de um entendimento. Ou caminha junto ou cada um segue seu rumo.


O show da cidade

Ainda faz eco nos meios políticos, a história do rompimento entre o atual preito José Pavan Junior e seu antecessor Edson Moura que leva consigo a vice-prefeita Simoni Moura, a prima que o chama de tio. Se de um lado, a expectativa gerada por esse fato deu folga para Pavan organizar a casa e resolver pendengas, ele serviu também para o grupo de Moura ser a referencia para os descontentes. Chega a dar impressão que Pavan está seguro e paga para ver no que tudo vai dar.

Lei da Atração

Moura no governo impôs o poder pelo medo e pelo palavrório, o que hoje ainda carrega aliados. Basta lembrar que ele conseguia gente varar a noite no saguão de um hotel de luxo para falar. Para se aproximar de Moura, mulheres se engomavam todas, iam ao salão de beleza, como quem ia ser madrinha de casamento ou encontrar um noivo. No hotel passavam a copinhos de água horas e horas. Tomara que os que deles se desgarraram, o fizeram de verdade e se assim não é, que não sigam o exemplo. Tudo passa.


Visgo no pé

Em que pese os sinais de que podem bater asas, dificilmente vão alem disso os descontentes do grupo, porque o melado espalhado por todo o puleiro, os colocam como calopicitas de asas cortadas e Moura não tem alpiste suficiente para sustentá-los até que as penas voltem a crescer, o que leva crer que Pavan certou a estratégia de afugentar o zangão e segurar tudo o que é abelha rainha com ele.


Na platéia

Enquanto os vereadores Matos, Cusatódio, Bonavita e Yatecola falavam sobre problemas no sistema de saúde, o ex-presidente do Conselho, Laércio Nali que, acompanhava tudo e lembrava que tudo o que ali se falava, o órgão vem mostrando desde a administração passada, com um agravante. O ex-secretário, Almério Aguiar empatava mais tempo para articular a extinção do Conselho de Saúde.
.
A Pirâmide

A fala de seu Laércio Nali lembrou outra marca de embate entre administração municipal e movimentos sociais. Parece que está em encaminhado para uma boa solução, a polêmica história do Manto de Cristal. Recentemente, representantes da ONG AMAPAULÌNIA, o comerciante Carlos Capacle, autor de uma ação que impede o empreendimento e representantes do governo se reuniram com membros da Igreja. È uma das heranças de Moura que marcou sua era como administrador

Por outro lado

Uma das marcas do ex-prefeito, o Instituto Brasileiro do Pequeno Empresário, o Ibrafem que pregava o combate a pobreza.com o slogan, o impossível é o impensável, chegou a um estágio nunca pensado por aqueles que ajudaram na sua criação. O IBRAFEM parecia divulgar um segredo baseado na Lei da Atração. Algo místico que se tornou agora uma maldição para o próprio criador. Basta ver o estado do castelinho que fica nas proximidades do Jardim Santa

sábado, 23 de outubro de 2010

A Política dos Bastidores: Fé e poder

A Política dos Bastidores



Fé e poder

Usar a religiosidade nos momentos de disputa política, já virou costume, mas não no ponto que se chegou no auge da disputa do segundo turno das eleições presidenciais de 2010. Ministros e sacerdotes da Igreja católica e meio Evangélico disputam os holofotes da mídia eletrônica, como se eles fossem os candidatos. Gozam da credibilidade perante seus fiéis e fazem disso uma moeda de troca com debates medíocres acerca de temas que a sociedade já faz há muito tempo.

Oportunismo

Travam a luta do bem contra o mal em cenário que mostra seres satanizados e divinizados, como se entre políticos, existem anjinhos desse ou daquele lado. A bem da verdade é que, enquanto a classe política disputa o poder pelo controle do Estado, esses caciques da fé disputam a preferência do povo com suas pregações que chegam a irritar. Eles conseguem transformar o horário político em programa para suas pregações.

Tudo pelo voto

De seu lado, Dilma Russef, reafirmou sua fé, posando para câmeras e fotos no batizado da neta e Serra só revelou o lado discreto que nunca antes mostrado. Ele assumiu posição favorável a união civil de homossexuais e explicou bem : união civil não é casamento, isso é só na Igreja . De véu e grinalda não.

Que coisa!...

Chegou a ser engraçado, um ex-ministro da saúde que incentivou a pílula do seguinte e outros métodos, como a distribuição de anticoncepcionais em postinhos, condenar o aborto, com se existisse em algum programa de governo, a proposta de obrigar faze-lo.

Palavrório puro

Por pouco, Serra podia anunciar em seu programa a proibição de sexo antes do casamento para agradar a beatice conservadora que mostrou o quanto ainda tem peso no processo político brasileiro. Na verdade, o aborto sempre existiu desde os tempos idos quando mulheres eram queimadas em praça pública. Qual padre não sabe disso? Basta uma análise mais critica da história, confrontando tudo com os dias atuais para compreender em que estágio nós estamos nesse processo.

O papel do Estado

O que está encoberto nesse debate todo é o conservadorismo da cabeça de setores da sociedade que tem grana para pagar aborto em clinicas particulares, enquanto milhares de infelizes o fazem de forma clandestinas para sobreviver na sociedade que as exclui por se tornarem mães fora no padrão da formalidade. Muitas delas colocam em risco suas vidas. Essas pobres mulheres que não podem pagar uma boa clinica, se sofrem hemorragias, são levadas aos Prontos Socorros e em seguidas processadas. Isso ninguém quer discutir.

Jogando com a fé

Em meio a tudo isso, num momento em se disputa o poder político pelo controle do Estado, vemos a divisão de opiniões dentro da Igreja Católica com bispos bancando a impressão de milhões de panfletos e os caciques evangélicos disputando votos de fies, como se fosse tudo um grande rebanho. Edir Macedo, Silas Malafaia e Manuel Ferreira com posições definidas carregam os fiéis de um lado para outro, cada qual com suas habilidades e capacidade de persuadir incautos em suas pregações.

Já vimos esse filme

O povo de Paulínia já assistiu isso com pastores de declarando para esse ou aquele candidato, numa guerra do bem contra o mal, colocando um candidato como ser satanizado e o outro divinizado. O resultado é conhecido. Se tais homens realmente fossem devotados a Deus levariam, em conta a expressão de Jesús que diz: EU sou o bom pastor, o que oferece a vida pelas ovelhas. Ao invés de induzirem humildes fiéis ao voto pela satisfação de seus interesses, deveriam estar amarrando pedras em seus pescoços para se atirarem nos mares.

Lobos e raposas

No próprio Evangelho aponta como mercenário aquele que não entra pela porta da frente e vende as ovelhas. Ora, o que se espera de um líder religioso que usam de sua credibilidade para induzir o voto? . O uso da religiosidade pelas campanhas presidenciais para cópia do que já vimos por aqui por parte de candidatos e cabos eleitorais

A Bonança

Até onde conseguimos apurar, o candidato a deputado estadual derrotado Jaime Donizete, o Jaiminho (PSC) e seu coordenador de grupo, conhecido como Chibo, resolveram a questão do pagamento. Inda bem, nós que conhecemos Xebéu como trabalhador e guerreiro naquilo que se propõe a fazer -, não achamos justo que ele saia de uma campanha de mãos abanando. Depois dos empurrões, porradas e cadeiradas de todo lado, parece que Jaiminho deu um jeito de arrumar o dinheiro do moço.



Verdade


O que é certo é certo, não é de hoje que Xebéu trabalha para o Jaiminho de vestir a camisa e tudo mais .Ele sempre defendeu o nome do cara, o que não é tarefa fácil. Agora quem diz que coordenou mesmo a campanha do Jaime, foi Mário Lacerda e quem era o padrinho e patrocinador de tudo foi Edson Moura. Aí tem, viu? Se bem que a equipe de Mario Lacerda e Wilson Machado é formada por voluntários, gente que trabalhou pelo amor á causa como sempre afirmou Wilson em seu Jornal a Tribuna.

Conjuntura Econômica

A rigor nem deveria tocar nisso aqui, mas como é negócio de político, nos bastidores muito se fala da situação precária da Rede Sauro de Combustíveis que parece ter bambeado as pernas de vez. Outro dia, tinha um grupo de ex- funcionários nos procurando para denunciar que nem o acerto de contas foi pago. Ficamos até de apurar melhor a história, só que na hora H, a nossa principal fonte fez xixi fora da pichorra e não deu informações necessária para a matéria sair boa com chamada de capa e tudo.


Era previsto

Agora é possível entender porque Moura previa que o Petróleo ia acabar. Só se fosse o dele, há!, Há!, Há!.... Moura declarou voto em Serra. Certamente , ele acha que a política do governo Lula atrapalhou seus negócios. E tem razão, é que existem instituições da República Brasileira, ou seja, órgãos do governo federal, apertando as banhas dele. Esse pessoal do Lula , talvez por falta do que fazer, vive mandando a Policia Federal e o Imposto Renda infernizar nosso ex- prefeito, onde já se viu ? ... Deixem o homem trabalhar, pô.

Herança

Em reunião do Conselho Municipal da Saúde, foi mais uma vez discutido a situação precária do Hospital Municipal e os valores das obras. Se o secretários de Obras, Antônio Carlos de Campos Elias, não explicar como ele pegou o elefante branco das mãos de antecessores, tanto ele, como a secretária de Saúde Mônica Rosa, vão pagar o preço pelo mal funcionamento daquilo. Afinal na placa de inauguração não constam nomes de João Bonomi, Dr Almério e de Edson Moura, mas sim, lá estão os nominhos deles e do prefeito José Pavan, junto com o nome da vice Simone Moura.

Pouca vergonha

Cresce a cada dia a prostituição infanto juvenil em Paulínia. Basta transitar pela estrada do João Aranha assim que anoitece para conferir o que rola por ali todos os dias. E preciso a participação de todos órgão públicos. Se o Coronel Furtado, o delegado da Polícia, o Comando da PM, com o apoio do Promotor e do Juiz montarem uma operação, com certeza, irão flagrar os marmanjos, muitos dos quais conhecidos que rondam a área em busca de meninas para programa. Quem sabe, eles tomam juízo ao verem suas caras na mídia regional, ou no mínimo os seus saberão por onde andam.

O problema & solução

Meninas ficam nas ruas porque sempre tem os que oferecem dinheirinho a elas. È verdade que precisa cuidar das crianças no seio das famílias, mas se ficarmos sós nisso sem levar em conta a responsabilidade de todos, caímos no discurso conservador e nunca iremos cuidar da ferida. Olhem que nem precisar ser muito letrado para saber o peso da questão econômica nisso tudo, como em todos os setores da vida.

terça-feira, 19 de outubro de 2010

A fé das pessoas e o jogo pelo Poder Político

Virou uma brincadeira de mal gosto o uso da religiosidade na disputa de votos, tanto de um lado como de outro, tudo dentro de parâmentos estabelecidos em um Estado Laico no qual está assegurada a liberdade de culto e de expressão. O cenário revela o quanto pessoas simples não manipuladas por gente sem escrúpulos que usam do saber e da habilidade da oratória para aproveitar a fé. Se dentre tais pastores e sacerdores, alguns fossem mesmo coerentes com os escritos sagrados, com certeza eles estariam amarrando pedras em seus pescoços e se atirando nas profundezas dos mares , conforme está no próprio Evangelho e não usando horário politico e imprimindo milhares de panfletos com seus posicionamentos. Em outro ponto do mesmo Evangelho, Jesus disse que o mercenário não entra pela porta do curral e traga as ovelhas , quando na verdade , são mercenários, tipo que só quer o seu dinheiro. Ele, Jesus sim- , é o Bom Pastor. È aquele que oferece sua vida pelas ovelhas. Ora , então ao vermos , a cristalina oratória do pastor Malafaia a pedir votos para alguém, o que haveremos de pensar dessa criatura ? . Trata-se de um Cristão ou um mercenário ? . E a guerra dos bispos católicos ? Isso expõe as vísceras das religiões tradicionais e deixa o povo abalado em sua fé.Nossa percepção é de que a disputa pelo poder na Igreja Católica é pesada e no meio evangélico, Malafaia disputa a fé e o sentimento do povo com o bispo Macedo

Há pouco tempo, postei aqui neste mesmo blog, uma observação acerca de um tipo de comportamento semelhante ao fundamentalismo, algo a beira de uma Guerra Santa que leva a disputa politica na base da luta do Bem contra o Mal.
O avanço dessa estratégia revela o quanto a cultura do povo ainda está aquem do que precisamos para avançarmos no processo democrático.Nesse mundo de carencia de conhecimento e falta de alcance cultural, os conservadores de mais conhecimento e recursos, de famílias que podem pagar abortos das clinicas particulares, preferem ver a morte de infelizes que por razão ou outra engravidam e em muitas das vezes para sua sobrevivência na sociedade, provocam aborto nos porões, nos quartinhos de fundo ou ingerem substâncias que colocam suas vidas em risco, tudo porque não podem contar com o atendimento da rede pública. Esse é o debate que a sociedade precisa levar com coragem e seriedade e esse tema não pode ser o divisor de água entre Dilma e Serra. Não existe de nenhuma das partes, alguma proposta que obriga a pratica do aborto e muitos menos que impede que a geração de filhos. A discussão é no sentido de o ESTADO garantir proteção e cuidar de quem precisa

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

A Política dos Bastidores; Senhoras e Senhores

A Política dos Bastidores


Senhoras e Senhores:


Acreditem que nunca duvidamos que os escritos desta página agradam a todos, mas o que nunca passou pela nossa cabeça , é que nossas observações revelassem os fantasmas e assombrações de pessoas enrustidas que carregam no íntimo do coração, a ponto de investirem de bobeira contra o cara que escreve essas coisas que vocês estão lendo

Os tipos

Essas pessoas espumam de raiva porque brechas para irem á Justiça contra a gente elas não encontram. O meio político sabe quem são essas pessoas e passam vê-las com caçoada pelo jeito tresloucado que andam pela cidade, como um ser sem miolos que podem muito bem ser comparados aos folclóricos bonecões de Olinda.

Aprendizado

Se analisarmos a fundo, as pessoas que são contra a coluna seguem os ensinamentos de Edson Moura que tinha uma tropa de choque para assinar sem sucesso representações e mais representações contra o tal do Miguelzinho, tudo só para me assustar. Sem contar outros mequetrefes que viviam a me aporrinhar.

Sem rancores


Foi o tempo deles. Daqueles que me afrontavam. Alguns são amigos nos dias de hoje e se redimem me contando coisas do Arco da Velha. São como preciosas fontes de inspiração para o que escrevo e suas identificações são e serão preservadas com muito carinho. Assim, os tenho em altíssima conta e grande estima porque compreendo as circunstâncias em que tudo aconteceu. Circunstâncias aqui são chamadas de conjunturas. E acreditem: quem sabe analisar conjuntura não perde o bonde da história.

Pura verdade

Um dia, o brilhante advogado dessa Comarca, conhecido como Paulinho da Seddema , em nome do líder político Roberto Coelho representou contra mim por entender que eu estava difamar uma fake do Orkut chamada Ana Liz, da comunidade Edson Moura. Acreditem vocês. Mas sem sucesso, o promotor Fernando Bianchini riu, e mandou arquivar a peça tão bem produzida pelo Dr Paulinho. Foi bom porque descobrimos quem era a tal Ana Liz , por sabermos nas botas de quem Coelho andava naquela época. Seguinte: A gente leva porrada mas dá risada , há !, há , há !....





O pior

Esmorecidos pelos fracassos resultados de suas maluquices, não nos enfrentam diretamente. Eles usam de aliados, pessoas de mente fraca contra a gente. O infeliz nos ameaça com representação por isso ou por aquilo num mais requintado estilo medieval, em símbolo de queima de humanos em praças públicas por causa da expressão de suas idéias.

Pasmem vocês

Saibam que nesse caso, trata-se de gente grande no melhor sentido, alguém que almeja o poder, e hoje, é o tipo viúva virgem, aquela que foi sem nunca ter sido.Oras, que culpa temos , se agora vivem a beira da perturbação mental por conta de suas falas destemperadas e “promessômetros”.

Desculpe-nos

È certo que aqui devíamos estar tratando de coisas mais objetivas, mas também faz parte do nosso propósito esclarecer certas coisas, mesmos que em forma de metáfora e linguagem figurada, que muito bem serve para quem está envolvido na política, como de alerta para os que buscam entender o que ocorre nos meios e ainda para acelerar as cabeças dos insensatos.


Vejam só:

Um dia, uma foto minha foi tirada ao lado do prefeito José Pavan Júnior num acontecimento social, até aí tudo bem, coisa de gente civilizada. Eu trabalho no CROMO do meu amigo e parceiro Dijalma Moda, para quem não escondo a gratidão pela oportunidade que me deu.

Confusão

Até hoje vivo a dar explicações de que não faço parte da administração do prefeito José Pavan Júnior por causa da foto publicada no Jornal Notícias , dirigido por Tuim Nelli e veiculada no site Acontece de Edgar Castelon , há mais ou menos quatro meses. Isso porque existem pessoas de mente fraca usada por pessoas espertas que insistem em jogar lama na minha credibilidade, na tentativa de me queimar em público como faziam nos tempos da inquisição. O Tuim prometeu esclarecer a brincadeira que promoveu o jornal dele, assim que for necessário. Muitos vão passar vergonha.


Nosso papel

As pessoas precisam entender que nós mostramos o que é possível e a elas cabem a liberdade de agir, questionar, ir á polícia, ao Ministério Público ou onde achar necessário. Jornal não tira canarinho de ovo de cobra. Nossos amigos nos questionam sempre. Mas cadê a coragem de escrever e assinar para ser publicado? Nem um panfleto para jogar na cidade consegue fazer, né?

A fé

Entre outros ilustres, o prefeito José Pavan recebeu o amigo e companheiro de partido Gilberto Kassab , prefeito de São Paulo no seu camarote sábado do Paulínia Arena Music. Quem também esteve por lá, foi o padre Paulo César da Igreja Matriz do Sagrado Coração de Jesus. Preces pedindo proteção á Nossa Senhora fazem parte da tradição em festas de rodeio, o que justifica a presença do vigário nos camarotes.

Perdidos no plantão

Na terça–feira dia 12, pudemos confirmar novamente a confusão que se forma nos setores de triagem e medicação do Pronto Socorro (HMP). A pessoa passa pela triagem toma a medicação e depois fica esquecida. Tomara que a Ouvidoria que apenas ouve, ouve e anota , conte para a secretária Mônica Rosa. Humanização não custa dinheiro doutora.


Servidores

Isso aqui é o que foi dito. O prefeito José Pavan Júnior garantiu que tem um canal aberto para conversar com o presidente do Sindicato da categoria, Eudinei Cabral e que a pauta da categoria está sendo analisada . Disse ainda Junior Pavan que o presidente do Sindicato sabe o que pode ser resolvido de imediato e o que precisa de um prazo maior, por força de questões jurídicas

Conversas

Pavan lembra que ele ajudou a fundar o Sindicato há 20 anos e que o reconhece como órgão legítimo de representação da categoria, por isso nunca irá deixar de recebê-lo. O ex- secretário de Segurança , Cícero de Brito , lembra que dependendo da mobilização, nem Edson Moura deixou de negociar com o Sindicato.

Cartadas na mesa

Só que as conversas nem sempre produziram os resultados esperados pelas partes , como aconteceu na greve da Guarda Municipal em 2007 que durou 11 dias. Nessa ocasião, embalados pelo clima tenso , Cabral e o advogado Jamir Menalli jogaram pesado e o então prefeito disse que se a greve não saísse, ele ia dar o que Cabral e Menalli estavam a pedir.

Pessoas em jogo na disputa

Como dizem na linguagem do baralho, interpretem como quiserem, mas foi bem assim : Menalli olhou para Cabral, deu uma piscadinha e trucou. Moura chamou seis e aí, tiveram que mostrar as cartas. A greve rolou e rolou por tabela a cabeça do secretário Jurandir Matos . Esse foi substituído por Cícero, então diretor da Guarda e homem forte de Moura em seus esquemas. Matos que era vice –prefeito e pré - candidato a sucessão de Moura , saiu torrado . Hoje, ele nem gosta de lembrar a história.


Sem peneira

Uma carta do Sindicato fixada nos portões da creches expressam a realidade que se construiu ao longo do tempo, retrato da ordem de prioridade que se deu para a Educação em Paulínia. Como pais de alunos , vimos a situação, ouvimos lamúrias e constatamos as reclamações.

Sendo assim

Logo, em que pese a disposição expressa pela administração nas falas da secretária Estela Sigristi , de construir o Plano Municipal de Educação, não há como fugir de questões levantadas . Nós defendemos e estamos dispostos a ajudar na construção da gestão democrática no sentido mais pleno da expressão.

sábado, 9 de outubro de 2010

Politica dos Bastidores - O Líder

O líder
Luis Inácio ensinou que em política só tem sucesso aquele que tem capacidade de agregar, juntar interesses comuns e é por isso que ele termina seu governo com 80% de aprovação do povo brasileiro. O resultado das eleições mostra a derrota dos arrogantes tipo senadores Mão Santa, Artur Virgilio, Tasso Jereissati, Marco Maciel e Heloisa Helena.

Um legado
Conforme o dito popular, o presidente Lula consagrou a tese de que o líder é aquele que sabe ciscar para dentro, que não espatifa, mas junta. O que cisca para fora é maluco que no final sai mais caçoado do que o abestado do Tiririca. Em Paulínia, vemos esse quadro ao confrontarmos os resultados.

Tropa de Elite 2
Embora seja pura ficção, o filme do diretor José Padilha, com roteiro de Bráulio Mantovani e Wagner Moura no papel principal, revela função do líder e sugere as conseqüências para a sociedade quando ocorre desvio de finalidade dos órgãos do Estado. Assistam o filme e reflitam.

Paulínia
ficha limpa
Finalmente, a prefeitura de Paulínia conseguiu parcelar a dívida da extinta Empresa Municipal de Desenvolvimento de Paulínia, a Emdep para ter a Certidão Negativa de Débito. Em reunião com o pessoal que está em cargos de confiança, o prefeito José Pavan Júnior, destacou a importância do acerto das contas, como a clara possibilidade para avançar em projetos que dependam de financiamento e créditos. Pavan lamentou a perda de verbas federais para importantes projetos como o Leve Leite e para a Segurança Pública.
Placar Eleitoral
Os números registrados em Paulínia nas eleições de 2010, podem mostrar a força de algumas lideranças políticas que tiveram suas imagens diretamente ligadas em candidaturas, conforme publicamos na presente edição e pode ser visto nos portais eletrônicos. A gente apenas tece algumas considerações para serem comentadas por aqueles que acompanham e gostam da política.

O mais votado
Antes de entrar nos comentários, temos que frisar que mesmo sob protestos, nós fomos os únicos a tocar na candidatura do abestado Tiririca que em Paulínia teve 3821 votos e se elegeu com 1, 3 milhões de votos para federal carregando mais três na legenda. Até nisso o processo eleitoral ensina que ou as pessoas liberam o senso de humor ou se tornam ridículas. È uma forma de transmitir equilíbrio, se a pessoa fecha a cara fica feia contraída e de repente se fica rindo a toa também fica estranha e vira alvo de deboche.

Para entender
O deputado Campos Machado teve 4081 votos em 2010 e 700 votos em Paulínia em 206. O federal Jonas Donizete recebeu 4.559 votos e, 2010, votação bem superior a de 2006. Anota-se também que Pavan reforçou outras candidaturas na cidade.

A força
Com isso, Pavan leva a melhor na queda de braço com Edson Moura. O ex-prefeito na eleição passada apoiou Campos, Jaiminho e Emerson entre outros, numa demonstração de grandeza posando para fotos junto com a sobrinha Simone Moura, hoje vice-prefeita. Agora em 2010, Moura apostou tudo, mas tudo mesmo em Jaiminho que teve em 2873 votos na cidade de Paulinia, apesar do aparato que ele montou. Moura se dirigiu ao povo por meio de carta aberta, usou mídia, eletrônica, rádio e serviço de som, tudo isso além de um grupo liderado por Mario Lacerda e Wilson Machado presidente da Associação Comercial na onde de voto regional. Na reta final Moura saiu um de cena e a candidatura Jaiminho foi colada na imagem do candidato a federal do PT, José Pivatto que teve 2.583 votos na cidade.

O tamanho
Sem explicação pública, Moura saiu de cena, assim que a candidatura de Jaiminho naufragou e Mário Lacerda se apresenta como o líder do resultado. Porém, para essa afirmação não tem acordo quando ele diz que a votação do ex-prefeito de Cosmópolis se deve muito ao empenho dele. Lacerda pode ter ajudado, mas a candidatura Pivatto teve o apoio e engajamento de um grupo de militantes e simpatizantes do PT, liderados por Maria Ildete, ex-candidata a prefeita e para vereadora do PT e do militante Reinaldo Barbosa que coordenou a equipe de rua.

Explica-se
Nesse caso, tem que se fazer justiça no registro que o pessoal de Maria Ildete fez campanha para Gerson Bittencourt na dobrada com o Pivatto. Bittencourt saiu com 456 votos de Paulinia e foi eleito deputado estadual, conforme publicamos na página 10. E tem mais, quem conhece Maria Ildete tem certeza que ela sentiria desconfortada na campanha do Jaiminho.

O PT pulverizou os votos
Basta ver os números publicados na página 10 para entender o que é voto no PT e presença das lideranças á frente das candidaturas. O candidato Renato Simões teve 800 votos na cidade em campanha que teve o vereador Custódio Campos á frente, enquanto que Ricardo Berzoini recebeu 1218 votos sob a coordenação do ex candidato a prefeito Dixon Carvalho e do ex- presidente Laércio Guiacheto. Por outro lado, o deputado José Mentor, cuja campanha teve a coordenação do presidente José Bezerra e outros militantes tiveram 840 votos, enquanto que Carlos Zarattini recebeu 724 votos em campanha liderada pelos militantes Paulo Paes e Paulo Gil da Nóbrega.

Para lembrar
Na campanha de 2006, Zarattini teve mais de 2.000 votos em Paulínia, sendo que na campanha dele estavam engajados os grupos que agora em 2010, apoiaram Berzoini e José Mentor em 2010. E é nesse sentido que analisamos as votações dos majoritários (Presidente, Governador e Senador) como votação do PT e de forma separada as votações dos proporcionais.

Outras análises
O candidato a federal Claury (PTB), teve 1301 votos em campanha liderada pelo vereador Francisco Bonavita (PMDB) e Eli Correia Filho (DEM), candidato a federal recebeu1156 votos em campanha feita pelo grupo político do vereador Marquinhos da Bola (PTB). O vereador Jurandir Matos (PMDB) apoiou Milton Monte (PR) que não passou de 146 votos e Waldemar Costa Neto, apoiado pelo presidente da legenda em Paulínia, Cícero de Brito teve 176 votos.

Análise I
A primeira leitura do quadro de resultados mostra que a administração municipal, na pessoa do prefeito José Pavan Júnior, sua base aliada na Câmara e assessores, sai com mais peso politico. Por outro lado, o PT, como instituição, ou seja um partido político
confirma sua aceitação na cidade se olharmos para os votos dos
majoritários governa-dor, senadores e Pre-sidente, veja pág. 10.

Café filosófico
Por pouco, nossa coluna vira parte integrante dos cardápios daqueles que se acotovelam nos balcões de padarias, com destaque para a Padaria Real, do nosso assíduo Airton Belo. Nós usamos uma linguagem figurada ás vezes para despistar tipos agressivos e por isso nossos escritos geram comentários, entre os mais esclarecidos e ódio por parte dos mais tontos que pensam que estamos nos referindo a eles.

New Ratazanas
A modernidade nos sistemas de informação estimulou o surgimento de um tipo muito perigoso na sociedade. É uma espécie de rato, como aqueles que serviam a ditadura que vivem a filmar, fotografar e gravar falas de pessoas para usar em chantagem, pressão e outros tipos de constrangimentos. Nesses processos eleitoral, minha fui captado por lentes e câmeras de uns malucos que usam a imagem para fazer gracinha. Coisa feia para quem se presta a esse tipo de coisa e a quem patrocina. Logo vamos contar tudo aqui, dando nomes e sobrenome aos bois e vacas e apelidos aos bezerros e bezerras.

O registro
O deputado Antônio Mentor teve1812 votos em Paulinia, menos um pouco da votação recebida em 2006. Porém, na passada, a deputada Ana Perugini que teve 2798 votos na cidade não investiu tanto na cidade que ainda teve campanhas de Gerson Bittencourt, Tito com 944 votos e tantos outros. O mandato de Mentor é reconhecido na cidade pelo seu empenho, inclusive com verbas ele conseguiu para instituições da sociedade civil.

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Tropa de Elite 2

O filme do diretor, José Padilha, com roteiro de Braulio Mantovani e Wagner Moura como ator principal, coloca em xeque as instituições públicas que em verdadeiro desvio de finalidsade, fortalece outros setores que deveria ser combatidos por elas.Tropa de Elite 2,é uma obra de ficção que nos leva a pensar no que pode acontecer com uma que vive sob um aparato de Estado controlado por pessoas que perderam a noção de suas responsabilidades ,da etica e do respeito ao indivíduo. Tanto do lado das autoridades do Estado, como da força de segurança pública ou dos grupos do crime organizado, tudo gira em torno da defesa do interesse individual e do dinheiro que vai para o bolso de cada um.Sob esta ótica, eles se compõem, rompem e eliminam aliados sem o menor cuidado. Ainda bem que o capitão Nascimento, se redime no final e como acerto de contas com a sociedade revela muita coisa... È um filme

O Theatro Municipal de Paulínia, recebeu convidados, entre eles jornalistas do Brasil todo, de autoridades do mundo empresarial, do mundo político personalidades do mundo artístico. Quem não assistiu não deve perder a oportunidade de ver o belo e bem construido trabalho que tem muito a ver com a POLÍTICA em alguns aspectos

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Direito de resposta de WIlson Machado e Tréplica do Jornalista Miguel Samuel

Direito de Resposta

A coluna recebeu o pedido de direito de resposta do Presidente da ACIP Wilson
Contramão
Desde quando questionar é andar na contramão? Questionar é buscar respostas que nem sempre estão diante dos nossos olhos. Como cidadão, eu nunca protestei contra a transferência de renda aplicada pelo governo Pavan e como empresário e presidente da Acip, jamais deixarei de estar atento ao interesse da coletividade que represento. Eu acredito na dignidade do ser humano e penso que para alcançá-la é necessário criar frentes de trabalho que permitam ao povo crescer de verdade, sem dependência.

Voto regional
E se eu, como cidadão e empresário, apoio candidatos como Jaiminho e Pivatto (que sendo petista, não foi citado nesta coluna), é porque meu interesse pela coletividade rege minhas ações. Eu acredito no voto regional e penso que nossas cidades podem realmente ser representadas nas esferas estaduais e federais, se ajudarmos pessoas que conhecemos, com currículo que prove sua capacidade de trabalhar na administração pública e com chances reais de serem eleitas. Não estou correndo atrás de ninguém. Estou correndo junto com os interesses do que é público e para que o benefício seja de todos.

Pela coletividade
E com este pensamento, venho trabalhando desde antes da implantação do pedágio para que Paulínia, principalmente os comerciantes locais, não sejam penalizados. Agora, em operação, busco junto à Rota das Bandeiras as alternativas para diminuir o valor da cobrança do pedágio, tendo inclusive, já enviado várias delas para o Gabinete do prefeito Pavan. Lá se encontra também o projeto aprovado do Cartão da Acip, uma forma de fomentar o comércio local, porque abre uma linha de crédito entre o comerciante e o funcionário público. O sistema é simples, funciona com desconto na folha de pagamento e o valor da compra é creditado na conta do comerciante no mesmo dia, através de uma conta bancária vinculada.

Credibilidade
Sobre a credibilidade das eleições que me levaram à presidência da Acip, cabe aqui o esclarecimento de que fui eleito por Chapa Única, por isso a quantidade de votos não foi necessariamente expressiva. No entanto, esta foi a segunda vez na história de 34 anos da Acip que uma Chapa Única foi composta e eleita. Isso não é sinal de credibilidade? Como você disse: os comerciantes que reflitam sobre isso!

_____________________________________________________________________________________
Miguel Samuel Responde

Cavalheiro
De forma educada, o presidente da Associação Comercial e Industrial de Paulínia, Wilson Machado, se dirige a nós pedindo seu direito de se manifestar acerca do que escrevemos na edição passada e está concedido aí ao lado.

Pela classe empresarial
A rigor, continuamos com a opinião de que a representatividade dele é baixa, embora saibamos que a Acip tem uma linda história de trabalho de pessoas abnegadas, como Borjão, Airton Super Máquinas, Jarbas Donizete, Mauro da Truck, Toninho do Craque, Oscar dos Calegaris e finalmente Santo Trainotti, além de outros, todos homens do comércio, cada um a seu modo e com seu grupo, fez o que pode em seu tempo. Essa velha guarda deixou saudades, fez o comercio virar e com pouca grana, viu?

Verdade
Isso não há como contestar. No processo no qual Santo perdeu para Geraldinho, ex-do Amadeu em 2005, teve 402 votantes, aliás bem democrático, com duas chapas dando opção de escolha ao comerciante. Na eleição seguinte, também duas chapas e agora o Wilson está meio que absoluto na Acip, após ser eleito em chapa única.

Quem pariu Mateus que o embale
Porém tem muito mais o que tratar aqui e o Wilson do Tribuna, é problema dos comerciantes, dos quais muitos são nossos parceiros, o que nos motiva fazer o alerta.
E as crianças
Agora, bem que, tanto o presidente da Acip, como o secretário da Industria e Comércio, Antônio Atauri , deviam estar no evento do Conselho Municipal dos Direitos da Criança, CMDCA, sobre o Fundo dos Direitos da Criança e do Adolescente e se comprometer em cativar os empresários para o destino de 1% do imposto de Renda para o Fundo que repassa recurso para projetos com criança.

Sendo sim
Insistimos aqui, que a sociedade como um todo é responsável pela garantia e proteção dos Direitos da Criança. Só a Rita Coelho, Secretária da Criança e do Adolescente, não dá conta. Nós precisamos construir a Rede Social de Garantia e Proteção aos Direitos da Criança, com todos os órgãos do Governo e representação da sociedade. Agora, se nem quem lida direto com o meio empresarial não tem sensibilidade suficiente para cativar os pares para tão nobre causa, não tem direito de retrucar se for chamado de inútil.

Na urna
Estoques de santinhos, cédulas e colinhas, são desovados na cidade, como se fosse o fim de uma festa. No meio disso tudo, surge a cartinha do Jaiminho se declarando da cidade para justificar. Se fosse sério mesmo, ele estaria pedindo voto para Dr Almério, Sandoval, Sirleiva, Padovani e Dr Marquinhos da Água. Aliás, o Dr Almério disse que a campanha dele vai bem obrigado em outras cidades.

Entendido
Então deve ser para aquelas que estavam na rota da doação de remédio. Lembram das carretas cheias de remédio de Paulínia interceptadas na estrada? O Dr Almério já estava em campanha desde de o tempo da Home Kerr, empresa que levou R$ 22 milhões em um ano para ajeitar remédio nas prateleiras.

Falando nisso
Deu um bafafá no acerto do pessoal do Jaiminho, segundo uma fonte que vamos apurar e mostrar na próxima edição, se for notícia relevante. A campanha tem Mario Lacerda como coordenador.

As contas
Anotem aí. Vamos divulgar e comentar as prestações de conta aqui, no site e no nosso blog. Vamos comparar as campanhas e mostrar, isso para ajudar na formação da massa crítica da sociedade. Outra coisa dependendo do desempenho de algumas candidatas
poderá confirmar nossas suspeitas de balão de ensaio para justificar desembolso e nada mais.

Realinhamento político
Os partidos vão se reorganizar de acordo com o resultado das urnas. Se o DEM de Pavan, se fundir com o PMDB de Michel Temer, em Paulínia, não ficará pedra sobre pedra. É só um exemplo do que pode acontecer, bastando para isso que os projetos sociais se emplaquem.

Fortalecimento
do grupo
Cézinha Pietrobon, histórico do PMDB de Paulínia, está conversando com seus parceiros do PMDB na perspectiva de resgatar os laços políticos dos anos 80 e 90 que garantiram resultados importantes ao partido. Em 92, o PMDB elegeu o prefeito, o vice e uma significativa bancada de vereadores. Lembra Cézinha, que nessa época, tinha debate e o PMDB tinha democracia interna até que imperou o caciquismo e desagregou tudo.

Por aqui,
é laranja neles
Virou piada, esse negócio de Mulher Melancia, Mulher Pêra e outras em Paulínia. Estão se preparando para apresentar como candidata em 2012, a Mulher Laranja, a Laranja Baiana de umbiguinho e tudo, há!, há!, há!...

Promessômetro
Vocês acreditam que um candidato a deputado garantiu assessoria para as pessoas? Agora, temos até domingo, dia 3 a meia noite para ser cumprida a pro-messa daquele que ficou de mover o Superior Tribunal Eleitoral em favor de uma causa que teve sentença dada em primeira instância... Pois é: dizem que até a eleição estava tudo resolvido.