sexta-feira, 10 de junho de 2011

A Politica dos Bastidores -Melancolia

A Política dos Bastidores
Por Miguel Samuel de Araujo

Melancolia

Meio que desapontados e sem o dinheiro do pagamento, os servidores municipais de Paulínia voltam ao trabalho depois de mais de 60 dias de paralisação dos principais serviços da cidade. Em assembléia já esvaziada eles decidiram na tarde fria e chuvosa de quinta-feira dia 9, - que devem acatar a decisão da Justiça que considerou o movimento ilegal e abusivo além de impor multas ao Sindicato.


Na memória
Certamente, o Dia 8 de Julho será sempre lembrado pelos servidores, como o Dia que um grupo teve que sair ás pressas do saguão do Gabinete do prefeito, onde passaram uma noite acampados.


Os advogados
Orientados pelo comando da greve e pelo Jurídico do Sindicato, eles por muitos dias alimentaram a expectativa de que não teriam os dias parados descontados de seus salários e que a Justiça ia garantir integralmente a pauta de reivindicação que é de reposição de salários, data base, aumento do auxilio de alimentação para R$ 600,00 e outros pontos


Desgastados I
Se de um lado, a administração municipal e o nome do prefeito José Pavan Júnior saíram arranhados do processo por causa da guerra de informações, os dirigentes do Sindicato passam apuros para explicar para a categoria que a estratégia não deu certo e que tudo não passou de uma aposta em cavalo errado


Desgastados II
Com estas e outras, até ex- prefeito Edson Moura saiu chamuscado, porque tentou pegar carona na greve com o protesto Fora Pavan, A população e o próprio servidor souberam separar uma coisa da outra. O movimento não foi além de um grupo que perdeu cargos e espaço no governo, acompanhados de e amigos deles


Dobrada Mobral
Ficou evidenciado para muitos que por interesses comuns e mesmo que a distância e na camuflagem, Moura se une com o presidente do Sindicato, Eudinei Cabral contra o prefeito José Pavan. Assim, mesmo que por baixo dos panos em 2012 poderá haver a dobradinha batizada pelas iniciais de ambos sobrenomes, será a dobrada Mobral
Rebocado por Mario Lacerda e outros, no domingo, dia 5 de junho, Eudinei Cabral participou do movimento Fora Pavan no bairro Bom Retiro onde ele mora e na terça- feira, dia 7, pasmem senhores e senhoras... Cabral franqueou a palavra para a vice- prefeita Simone Moura que subiu no caminho de som para descer a lenha em Júnior Pavan. Dizem que depois de tudo isso, até que não fuja da bula do Taquaral, Cabral não tem outra alternativa política a não ser reforçar o time dos Moura, isso se ele não for também descartado até por esses, depois que ficar evidenciada a popularidade dele pela atuação no comando de tudo


Frigideira
De nossa parte, não víamos à hora de tudo terminar para voltarmos nossa amizade com o tesoureiro do Sindicato, o advogado Reginaldo Lopes, que passou esse tempo todo, soltando faíscas pelas narinas só de olhar para a gente, como se a gente tivesse prometido pagar os dias parados e que a justiça ia dar ganho de causa aos grevistas. Ainda bem que isso parece ter saído da cabeça do veterano Jamir Menalli.


Machucados
A ousadia do comando do movimento de servidores provocou fortes hematomas e outras fraturas nas relações entre o Sindicato e a Câmara, que agora precisar de muitas bolsinhas de gelo para aliviar a dor e fazer tudo voltar ao normal. Os vereadores tiveram seus nomes cravados em cruzes e fixados na porta do Paço Municipal. Precisava Isso tudo não.


Coisa macabra
Cruz é um símbolo forte que pode representar a morte de quem está representado ou o fim de carreira para quem fez o uso delas para protestar. Os dirigentes do Sindicato sabem que o Poder Legislativo não tem o poder de mexer na folha de pagamento e não podem se esquecer que todas as matérias referentes aos interesses dos servidores sempre foram aprovadas pela Câmara sem nenhum questionamento. Só que os vereadores devem ter o bom senso para compreender que o conjunto dos servidores não pode pagar por atos impulsivos de um punhado de porras loucas


Os compromissos
Passada a greve, os órgãos públicos retomam suas rotinas com os sistemas de marcação de consultas, reposição de aulas e os serviços de segurança normalizado. Que a partir de agora, não venham às chefias com as desculpas para os atrasos em suas obrigações. O prefeito tem um prazo para concluir seu projeto de governo, tem maioria na Câmara e gente querendo ajudá-lo. Do nosso lado, esperamos que ele faça uma rigorosa cobrança de produtividade e de metas para aqueles setores que ainda não se justificaram as presenças de seus titulares


Era do Gelo

O Ambiente político em Paulínia parece nosso meio ambiente, na história de um filme infantil. Sem a menor responsabilidade, enquanto administradores respiram aliviados saindo A charge foi inspirada na lenda do urubu e o pavão. Um não suporta o outro que exibe suas plumas festejando seu sucesso e o outro ostenta o poder e a disposição de devorar de cadáveres

7 comentários:

  1. Anônimo Grandão10 de junho de 2011 18:36

    Black Pants... gostei.... rsrsrs....os carça peta...ahhh Miguel... boa.. parabéns!!

    ResponderExcluir
  2. Como um "jornalista" que nunca esteve acompanhando o movimento, as esperanças e angústias dos servidores pode se manifestar. Deve ser devido à lei do "imprima-se" que cumpre tão bem aos interesses dos coronéis locais. Chega de tablóides na cidade, queremos IMPRENSA LIVRE, IMPRENSA PROLETÁRIA.

    ResponderExcluir
  3. Os combatentes da legalidade e da liberdade, tão defendidos pela imprensa, mas não em Paulínia, não saíram às pressas do gabinete da Senhora Prefeita. Saíram esperando pela vitória da justiça. Saíram empunhado a bandeira da liberdade. Mas isso não é pra Paulínia... Mas nós voltaremos, como os sans-cullotes retornaram na Comuna de Paris

    ResponderExcluir
  4. Imprensa Proletária ? há!.. há!... há !... Saiu da tumba dos bolcheviques e dos mausoléus. Salve Liningrado... Salve a a Revolução de 17

    Muito velho esse discurso

    ResponderExcluir
  5. Miguel vai se informar,depois escreva e seja imparcial sobre o assunto,mostre mais seriedade no que faz,respeite o direito alheio,o por fim não fique inventando coisas...

    ResponderExcluir
  6. Bi serva
    doura :

    Quem fica posando de imparcial faz o pior papel possivel, eu sustento , assino e não fico de anônimo sem carater

    ResponderExcluir
  7. Sou servidor a 23 anos e agora penso que e o momento de nos servidores em quem nos e nosos familiares iremo votar na proxima eleição tanto no executivo ,quanto ao legislativo que num colocaram a carinha delesa para dar apoio as nossas reinvidicação..Aguarde voces estão sendo fritos em oleo bem frio...ate a eleição nobrissimos vereadores. Teremos que trabalhar para mudar esta camara municipal que e uma lavagem de dinheiro publico e um cabide de emprego e a população num conhece isto...so pensam em denegrir a imagem dos trabalhadores do serviço publico.....

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.