sábado, 27 de fevereiro de 2021

Por causa da Pandemia do Coronavirus , as comemorações que sempre ocorrem no aniversário da Paulinia estão prejudicadas


 

Política dos Bastidores

Por Miguel Samuel de Araujo

Por trás do aniversário

Os festejos comemorativos dos 57 anos de Paulínia seguem a toada de todos os demais aniversários em tempos de Pandemia. Sem aglomeração, festas e nos semblantes das pessoas  a expressão comum de incerteza e medo apesar dos cuidados devidos com uso de máscaras e álcool em gel . A cidade já registrou de acordo com as estatísticas da Prefeitura, 7.128 casos da Covid -19 com 106 mortes e 24 pessoas internadas até o dia 25 de fevereiro que  constatou-se o esgotamento da capacidade do sistema.

Mesmo assim

Paulinenses lembram e comentam períodos importantes da história da cidade  pelas redes sociais e onde mais é possível. Paulínia agora está engrenada para entrar numa fase de desenvolvimento social e econômico, sem ter que enfrentar  o ambiente de insegurança para a gestão pública com alternância de prefeitos . Agora tem prefeito empossado com a perspectiva de administrar até 31 de dezembro de 2024 com tranquilidade, sem oposição sistemática e Câmara Municipal com todos os vereadores votando a seu favor. Mesmo com a Pandemia pode planejar e tem tempo de folga para apresentar planos de ação em todos os sentidos

Agora tem que dar certo

O prefeito Du Cazellato segue no modelo que já vinha há dez meses da uma gestão complementar. Só teve o trabalho de realinhar algumas coisas e retocar o cenário que ele próprio organizou.

Teoria, discurso e prática

Tudo muito simples seria para a gestão, se ela estivesse livre de interesses de parceiros com os quais, o prefeito teve que se compor para chegar aonde chegou . Du Cazellato fez alianças e acordos que garantiram a vitória dele e se converteram em grandes faturas. Só que mais dia e menos dias vem e o credor bater na porta  e conforme  o desenrolar das conversas, colocar  as contas em cartório.

Coisa encruada

 De nossa parte, queremos que as coisas deslizem , é uma gestão nova que já vem no comando dos assuntos desde o ano passado. E só mexer rapidinho que evita virar grude.

Alívio na atmosfera

A chefia do Gabinete já deu sinais de que vai imprimir uma nova dinâmica, sem Leonardo Ballone  oficialmente na testa do governo.  Com seu estilo e jeito pesado de ser, que vem de tempos passados, Ballone parecia ser ele, uma espécie de primeiro ministro da cidade, um cara acima do prefeito.

Ecologia precisa de bons ares

Um bom pescador observa que águas turvas acumulam no meio ambiente sem ser por acaso motivos de desavenças. O canoeiro é bom moço, só que o braço que rema o catamarã deixa evidente que é de  um outro personagem

Na terra, nas águas e no ar

 O cara que tem as rédeas da política nas ações da Secretaria do Meio Ambiente, é o tipo piloto de avião que sabe ir bem por  cima das torres. Só que o moço vive nas nuvens e se perde fácil na serração  quando  depara com  a neblina. Aí, ele coloca tudo em risco por causa de umas travadas  na principal turbina.

Os fortes entendem as metáforas

A rigor, o prefeito Du Cazellato poderá ter problemas com a sua Secretaria do Meio Ambiente por conta de alguns licenciamentos questionados até mesmo por conselheiros que vira e mexe batem nas portas do Ministério Público. Ainda  merece  atenção,  a velocidade como as coisas relacionadas com a pasta tramitam. O que está por trás desse ritmo todo?  , ou melhor, o  que ora embaça, ora  faz clarear o ar no meio ambiente ?

Como algodão entre cristais

Entre as taças, porcelanas, cristais, pratarias e inox, está o Secretário de Governo, incumbido da tarefa de manter tudo organizado em harmonia. A rigor, o secretário Danilo Barros deve dar mais atenção a essa mesa do que a mesa da Câmara, porque essa, está sob os cuidados  de ninguém mais do que um moço que desde muito novo vive agarrado aos livros das leis e tem intimidade com os vade mécuns.

Erro é inadmissível

Dessa vez, nem o Ministério Público deverá relevar lapsos da Câmara porque o seu presidente, o vereador Fábio Valadão, além de advogado militante na Comarca, foi líder do prefeito, conhece bem seus modos , suas  pretensões e sabe como trilhar sobre o fio de uma navalha. Tem tudo para dar certo

Os linha de frente

Em que pese o papel de cada um na equipe e no conjunto  para o bom desempenho da administração de Du Cazellato, presidente da Câmara, chefe de Gabinete e Secretário de Governo formam o tripé da responsabilidade. Essas três pessoas têm inclusive o controle político do processo sucessório de 2024. A exemplo do processo de 2020 , na sequência desses aparecem os secretários de Obras e da Saúde que operacionalizam as coisas de acordo com o traçado.  Em Paulínia é deflagrado mais cedo do que na maioria das cidades e é concluído  no prazo regulamentar.

 Os servidores na esteira de tudo

Seria muito importante e positivo para os trabalhadores e trabalhadoras do serviço público se eles tivessem a clareza de que a execução e implementação das propostas de políticos eleitos dependesse deles. Vem daí, os interesse explícitos  de caciques da política tentando influenciar nos resultados da eleição da diretoria do Sindicato da categoria

Fazer política é direito de todos

Nada contra que o trabalhador da Prefeitura se filie a um partido político, apoie candidato  se manifeste e assuma posição desde que não prejudique o andamento dos serviços prestados aos munícipes. É melhor assim do que ser massa de manobra nas mãos de pessoas estranhas ao quadro de trabalhadores que só querem usar o aparato do Sindicato com apoio de gente da cidade que joga no mesmo time dos estranhos.

O servidor precisa ter clareza

O trabalhador da Prefeitura é cidadão e deve assumir o lado. Agora, que Paulínia está em processo de eleição para o Sindicato, é só ver quem está por trás dos grupos que disputam a diretoria para entender o quadro. Os piores são aqueles que omitem, distorcem e negam reais interesses que os movem para estar dando uma mão para a chapa do Sindicato de Paulínia, sendo que nem da cidade eles são.

Contas aprovadas

O vereador Renato Muniz de Andrade de Cosmópolis festeja  a aprovação de suas contas das eleições de 2020. Satisfeito com a decisão da Justiça, o advogado dele, Antônio Trefliglio Neto, que se destacou na defesa de outros políticos da região, avalia que os rigores da legislação podem colocar em risco candidaturas vitoriosas nas urnas e por  a perder trabalho  empenho e frustrar sonhos , tudo por falta de observação nos gastos com as campanhas e nas prestações de contas.

Sempre a história

Desde a administração do Seu Dude Vedovello  que nós sempre publicamos edições especiais de aniversário. Chegamos a publicar uma revista com a memória da cidade, com os relatos de fatos importantes que marcaram a história. Vemos o período de comemorações, como o momento mais importante do ano para lembrar , celebrar e propor .. Uma vez, reunimos na Casa de Seu Dude , representantes das famílias antigas  para lembrar a data. Foi uma alegria, até o Padre Antônio compareceu . Hoje , mesmos que quiséssemos , estamos impedidos por causa da Pandemia.. É a história que se registra, um momento de desafios

Falando em história

Conforme uma fonte, o Ministério Publico mandou arquivar o processo instaurado para investigar a construção do hospital de campanha em Paulínia e pede que seja averiguado a autenticidade dos documentos apresentados. Nos relatórios que recebemos por ocasião das matérias constava assinaturas de gente da Polícia  e outros documentos que nortearam as matérias.

Assunto comentado

 O processo consta de uma operação da Polícia Civil que apreendeu uma carreta com equipamento e estruturas para montagem de tendas que seriam usado no Hospital de Campanha de Paulínia e não foi construído. De acordo com esse relatório, o fato ocorreu em abril do ano passado e o documento circulou em mãos de políticos durante a Campanha Eleitoral e chegou para a imprensa. É o que temos para  lembrar  desse período.

Da nossa parte

O nosso dever  foi cumprido, preservamos as fontes e respeitamos as autoridades. Que esse momento de comemorar os 57 anos da cidade, seja para todos também um momento de reflexão e amadurecimento para todos nós .. Parabéns aos gestores e autoridades  que fazem essa cidade mover em direção à prosperidade e abundância para todas as nossas vidas..

 

 

 

 

 

 

                                        

 

 

 

quarta-feira, 23 de dezembro de 2020

Processo de informação influencia na decisão do eleitor

 

Política  dos  Bastidores

Por Miguel Samuel de Araujo

 

O que move a pessoa em suas escolhas?

Pergunta pertinente no momento em que ainda ecoa o resultado das eleições pelos ouvidos dos que tiveram suas expectativas frustradas e mesmo daqueles que se beneficiam do cômputo final de votos.

A resposta é:

  As pessoas se movem conforme elas absorvem as informações que chegam a elas, sejam elas distorcidas ou incompletas que influenciam a decisão. Aqui, também chamamos de informação, os presentinhos, favores e que tais que rolam durante a campanha, são tudo informação, a oferta é o símbolo de pedido de voto e tem muita força e energia favorável a quem aborda.  

Sendo assim

Que tipo de informação predominou durante a campanha eleitoral de 2020 ?

De um lado, a informação de um grupo dava conta que iria repetir o que se fez no passado e de outro, a informação de um grupo de que vai pelo menos administrar as demandas espontâneas,  ou seja  manter o batidão e ir fazendo as coisas conforme surgem as necessidades. Simples de entender a lógica do eleitor que se identificou com a candidatura

A frequência e a conexão

É que da comunicação incorpora o poder. Logo do processo de informação emana energia. Logo ao grupo  que prometeu fazer a cidade reviver o passado, faltou com a clareza na especificidade. A possibilidade foi colocada sem convencer o eleitor da probabilidade, tendo em vista fatores circunstanciais bastante confusos, controversos, desprovidos de clareza e justificativas. Os fracos ficam sem entender o que a gente escreve

Eleitor vê e escuta

Então, na guerra que se deu em meio a uma avalanche de  informações prevaleceu a ideia de que o grupo que aí está, deve permanecer porque a cidade precisa dar conta das demandas espontâneas e situações herdadas que foram debitadas todas ao grupo que prometeu levar a cidade a reviver as glórias do passado

Proposta específica

Ao dizer que a cidade voltaria a ver o glamour do passado foi uma proposta generalizada fez com que o eleitor a ouvir também o revés da promessa sob a ótica do adversário que identificou especificou pontos negativos desse período. Faltou ao grupo de Edson dar informações suficientes e claras sobre o projeto levando em conta o contexto atual. Estamos em 2020 e o período de glamour se deu na década de 90, em outro contexto.

Os números e o tempo

 Basta ver o aumento de eleitores de Paulínia desse período a que se refere o grupo liderado por Edson Moura e comparar com o colégio eleitoral de hoje da cidade. O eleitorado do grupo mourista está mantido, só que tem milhares de outros eleitores que vieram depois e só receberam o bombardeio de informações que o adversário soltou contra Moura

Futuro do Mourismo

Seria precipitado afirmar que o Mourismo está acabado se levarmos em conta as votações da candidatura do MDB nas eleições complementares de 2019 e o seu crescimento em 2020. Só que sozinho, é insuficiente para vencer num colégio de mais de 65 mil eleitores. Daqui a quatro anos, esse colégio eleitoral será maior  ainda

Caciques têm o tempo deles e a vida segue

Voto personalizado numa liderança, como Malufismo, Quercismo, Brizolismo, Lulismo tem seu tempo, ele pulveriza e migra para outro. O eleitor escolhe pela proposta e estilo do candidato.

Paulínia em retrato

Quantos votos teria hoje, o Pavanismo em Paulínia? O grupo de Junior Pavan se dispersou. O Carvalhismo ( Benedito Carvalho) se foi, haja visto a candidatura do filho, o ex-prefeito Dixon Carvalho a vereador sem sucesso. O eleitor vota em quem se identifica com ele no momento, em quem fala com ele nas ações, posturas e palavras.

A dinâmica da comunicação

O momento em que a gente vive no mundo da política, pode ser analisado sob o pensamento do sociólogo polonês Zigmunt Bauman ( 1925/2017) que desenvolveu a teoria da liquidez. No mundo líquido,  de acordo com pensamento dele , os processos de informação e as transformações na sociedade se dão em uma velocidade tal , que nem bem assimilamos o Orkut, veio o msn, o facebook, em seguida o whats App e outros e mais outros.  Numa disputa de ideias e projetos de poder, os processos comunicativos gritam sem cessar e despejam informações a aos olhos e ouvidos das pessoas que vão decidir quem será eleito

O quadro da cidade

Depois que a cidade viveu sob o Mourismo, Pavanismo e Carvalhismo, ainda é cedo para afirmar que o atual prefeito reeleito Du Cazellato ,está consolidado ou que ele seja imbatível sozinho com foram os antecessores por um período em Paulínia.

Um novo período

 Entretanto, haveremos de  convir que Du tem sido capaz de agregar várias frentes e lideranças em torno de sua candidatura e formar uma grande aliança a seu favor. Inclusive o Balonismo, representado por Leonardo Ballone, seu chefe de gabinete, tem sua contribuição na mega frente anti- Moura

De nossa parte.

Reiteramos nossos votos de sucesso ao prefeito Du Cazellato, seu vice, Sargento Camargo e seu grupo político. Acreditamos que em 2021 , seja um período rico de discussões e propostas para a cidade  com uma Câmara de vereadores renovada.

Desafios e demandas

Para o prefeito e seu pessoal está claro  o que deve ser feito, bem como as demandas e os desafios. Antes, ele foi prefeito por dois meses no lugar de Dixon Carvalho. Depois veio o Antônio Miguel Ferrari,o Loira que ficou por um período. Aí, ele assumiu por um ano , eleito no processo complementar. Agora, reeleito, ele tem quatro anos pela frente para realizar o que o povo precisa ou se justificar.

Em outras palavras

  Isso significa dizer que agora  Du Cazellato tem a oportunidade de pelo menos apresentar um plano de ação efetivo com metas a curto, médio e longo prazo ..

 

segunda-feira, 16 de novembro de 2020

 

Política dos Bastidores

Por Miguel Samuel de Araujo

A carteirada do doutor

Sem sucesso, Marcelo Mello, secretário de Obras exibiu a carteira da Ordem dos Advogados do Brasil para os Policiais Militares , que o abordaram na quarta – feira 11 de novembro. Pela inquietação que ele demonstrou, a curiosidade dos PMs foi aguçada . No carro, um Ônix branco com placas de Belo Horizonte que nem  esses locados pela Prefeitura, foram encontrados R$ 50 mil e muito material de campanha de Du Cazellato, prefeito candidato a reeleição. Até aí, todo mundo sabe, o caso está amplamente mostrado na mídia e redes. Tem outros pontos a esclarecer que depende da Justiça Eleitoral que recebe o relato do Delegado da Polícia

Mui amigo,  Du jogou o Marcelinho de Obras no veneno?

Ora, muito nos chama a atenção, o fato de até o caso repercutir,  Marcelo Mello era tido como o homem forte de Du Cazellato. Era ele, quem  encaminhava as principais ações do governo, inclusive a história do Hospital de Campanha , cujo projeto não prosperou. Aí, na quinta- feira , dia 12, o prefeito põe o rapaz na rua e publica uma nota se distanciando dele .

É assim que ele opera

 Muito bem orientado por seu chefe de Gabinete,  Leonardo Ballone e outros do mesmo grupo , Du largou o Marcelinho na fogueira , justamente quando a Polícia Federal está para por a mão nele.

Estiveram por perto

Inclusive, agentes da PF estiveram na Delegacia de Matão, no ato do lavramento do termo de apreensão do dinheiro, do material de campanha e do carro. Marcelo chegou de carro no Distrito com R$ 50 mil e saiu literalmente duro e  a pé . Como humanos, vimos angustia, mágoa, tristeza e sentimento de desamparo no semblante do secretário que inspirava compaixão. O homem entrou em flagelo, inferno astral no sentido no estrito da palavra. Para nossa surpresa, nenhum destes que se beneficiam de sua expertise  sequer mandou-lhe uma garrafinha d’água.  Ali, mesmo deu início ao linchamento moral do rapaz pela ala dos falsos moralistas ..

Precisam manter a fachada de bom mocismo

Talvez, o catarinense sentiu na pele desta vez, como jogam os paulinenses da gema. Na quinta- feira, ouvimos nos corredores da Prefeitura, muitas críticas ao secretário que se enfiou numa enroscada em pleno horário de expediente. Praticamente, ali o burburinho já colocava o moço com o pé no limo, como quem estivesse a dizer : agora,  dê seus pulos

De nossa parte

O Cromo tem cumprido o dever e nem por isso iremos negar o respeito e cavalheirismo de Marcelo que deveria estar recebendo a solidariedade de todos do grupo e da campanha do Du, da qual é ele um dos carros chefes, embora  todos negam  agora

Desdobramento dos fatos

Independente do resultado do dia 15 de novembro quando será eleito o futuro prefeito, esse caso vai dar muita dor de cabeça, junto com outros fatos denunciados. As investigações da Polícia Federal poderão resultar em cadeia para quem se apresenta como isento de tudo ou no mínimo uma condenação severa.

 

sexta-feira, 25 de setembro de 2020


 

Política dos Bastidores

Por Miguel Samuel de Araujo

 

Salve Césinha !..

Em meio aos debates e tratativas calorosas do fechamento das chapas e coligações, o pessoal do prefeito Du Cazellato foca os esforços e atenções para o militante e influenciador digital, Cesar Lopes Dias, conhecido como Césinha.

Advogado famoso para barrar as postagens

 Um advogado renomado com o nome marcado nos anais de fóruns e tribunais pelas suas brilhantes defesas exitosas, foi destacado para calar o rapaz. O quadro, é de evidencias que o  pessoal do prefeito se esforça para conter as repercussões da candidatura de Nani Moura para prefeita da cidade.

O sentido e o significado das coisas

 A defesa de Cesinha,  acredita no discernimento da Justiça Eleitoral, para reconhecer a diferença entre uma postagem que ressalta qualidades, tece elogios e faz qualquer referência a uma pessoa, de um pedido de votos para essa pessoa.

Democracia em risco

A prevalecer a intenção do pessoal de Cazellato, fundamentada pelo advogado pica das galáxias designado  só para barrar citações contrárias a ele, ao tomar Cesinha como bode expiatório, teremos processo eleitoral em clima de censura. Por outro lado, muita comunicação violenta..

Há que valer o bom senso

A nosso ver, a modernidade tecnológica se estriba no estímulo por  busca de conhecimentos e uso de inovações no processo comunicacional. Logo, a liberdade das pessoas também  se amplia com isso. É claro que nesse mesmo diapasão tem funcionado o Ministério Público e o Poder Judiciário para balizar as relações entre pessoas.

 

Comunicação sem violência

 Convenhamos que a liberdade de expressão  destoa de um processo comunicativo marcado por calúnias, xingamentos e ofensas conforme temos visto pelo facebook.

Postagem simples

 O processo contra o Cesinha é diferente, ele fez referência a uma pessoa  e sequer pediu ou indicou votos para ela. A postagem é ausente de qualquer indicação explícita nesse sentido.

Eles promovem o adversário, há! há! há

 O quadro revela o peso eleitoral que essa pessoa tem para o pessoal de Cazellato. Apoiado em uma forte banca de advogados,  o povo de Du Cazellato quer cercar  por todas as formas qualquer referência ao nome ou sobrenome da pessoa do adversário. Que culpa ela tem pelo sobrenome que carrega ou que poderes ela possui para impedir ou permitir que alguém faça referência positiva ao nome dela? No mínimo, esse pessoal do atual prefeito está em campanha antecipada  para  o Césinha, há! há! há!..Daqui a quatro anos

A defesa da vida

Ficou muito claro como pensa e age o pessoal  do atual prefeito com o projeto sobre politica ambiental. A pretexto de acelerar a obra da Ponte, o Projeto de Lei do prefeito suprimia a prerrogativa do Conselho Municipal do Meio Ambiente( Comdema) e dava poderes ao titular da pasta. Outro ponto que precisa ser destacado é que está em jogo interesses de loteadoras e especuladores do setor imobiliário, isso tudo muito bem na surdina. Só ai, já é possível entender como eles jogam e creditam ao presidente da Câmara, Antônio Miguel Ferrari, o Loira,  o atraso das obras.

Jogo bruto

Mais surpreendente, foi o posicionamento do vereador e líder do Governo Fábio Valadão, dizer que de nada sabia e que tudo correria normal, não fosse a atenção de Conselheiros que correram no Ministério Público. Conselheiros fizeram lives  e alardearam o fato

 

Interesse público

Os conselheiros são voluntários e atuam sem receber salário e podemos destacar que o trabalho deles é mais importante do que a atuação de alguns vereadores. Eles são escolhidos  pelo votos da sociedade civil.

Times prontos

Corridos os prazos previstos pela Legislação Eleitoral, os partidos se alinham nas chapas de pré- candidatos a vereador e a prefeito com seus respectivos vices

Combinações de interesses

Pelas postagens feitas em rede social é possível perceber que algumas pessoas ficam sem entender as alianças feitas de última hora para formar coligações partidárias. Essa entre o empresário Tuta Bosco ( Cidadania) e o atual prefeito Du Cazellato , foi de estremecer. Nos meios políticos, ainda ninguém se  esqueceu que em passado recente, ambos trocaram duas acusações  em vídeos que foram viralizados , a ponto de quase se tornar um meme , um chamando o outro de sem vergonha.. Chegou a ser  cômico

Sem jeito  e sem modos

Agora, se for de verdade o que falam, evitem por frente a frente na mesma mesa, os empresários Mauro Torres ( Solidariedade) e Tuta Bosco.

 Maurinho também parece tem uma treta antiga  com o ex- vereador e ex- vice- prefeito Jurandir Matos( Cidadania). Neste caso, Matos se junta com o Tuta. Se ainda estão de mal, com os dedinhos entrelaçados, cada um irá fazer campanha numa rua e bem longe um do outro. A gente aqui do jornal, respeita e gosta de todos. Só  que temos dificuldades para apartar brigas

Abalou a estrutura

Formalmente não assumem, só que a decisão do partido Democracia Cristã ( DC) de sair do grupo do prefeito Dú Cazellato, abalou o castelinho do pessoal da máquina. Com Laercio, vem Loira e mais dois vereadores, tudo reforçando o time de Nani Moura

A metáfora do futebol

A linha de discurso da pré – candidata, Nani Moura é de agregar pessoas e jogar na mesma cadência sempre de olho no movimento do adversário, sempre com o espírito de time e de cabeça erguida.

O pessoal ligado a ela já desafia Du Cazellato para debater temas da cidade. Dú, é o tipo de jogador que faz cera,  tem medo e prende a bola. É o tipo que joga de olho no juiz,  reclama faltas e pênaltis sem existir. Nunca foi a debate e é  avesso a entrevista. A campanha promete lances muito brilhantes.

Avisem aí

Que os colocadores de azeite e pimenta na empada alheia, os agora chamados muito certinhos da máquina, que fiquem atentos. Vem bucha forte..

 

Serão pulos miúdos sobre cacos de vidro

Uma representação que aponta uma série de irregularidade no edital das reformas de prédios escolares entre elas indícios de direcionamento está ganhando força no Ministério Público. Pelo que pudemos ler, vai pegar mal para a empresa vencedora , já de boca no contrato.

Pedras sobre pedras

 Tem outras, inclusive uma forte do setor de transportes, essa é nitroglicerina pura. É que os sem noção ligada ao Cazellato pensam que usar a estrutura da máquina para tirar proveito político na campanha, como punir servidor com Sindicância é muito fácil.

 

 

 

 

 

segunda-feira, 31 de agosto de 2020

De novo, políticos de Paulínia gastam com advogado e levam disputa para o Forum

 

Política dos Bastidores

Por Miguel Samuel de Araujo

 

 Du X Moura

Mesmo sem ser pré- candidato, ou ao menos cogitar a possibilidade de ser em 2020, o nome do ex- prefeito permanece nas bocas graúdas e miúdas, nos bastidores e rodas da política. Vira e mexe aliados do atual prefeito lembram feitos de Edson Moura, prefeito por três vezes pelo PMDB e agora no MDB.

Quem muito compara quer ser igual?

Existe a máxima entre os ditos populares para explicar as críticas e ataques sistemáticos. De nossa parte, poupamos as comparações entre ambos quanto aos feitos, expertise política, visão de mundo, visão de futuro para a cidade, na região, no Estado e no mundo, capacidade de percepção das necessidades e prioridades do povo  inserção na massa, articulação política, ousadia nas realizações. O nosso papel é relatar o movimento das pessoas no momento em que antecede o processo da campanha eleitoral

Fazem campanha para ele

 Só que Edson Moura, está fora das disputas. Os tempos são outros e com personagens diferentes.  Aí, sem uma justificativa mais consistente, como um coral de insensatos, o pessoal do atual prefeito Dú Cazellato vive a recitar a cantilena: Edson Moura fez, Edson Moura deixou de fazer. Assim, a cidade respira do nome dele com a ajuda do pessoal do prefeito pelas redes sociais. Que  coisa !.. ?

Só eles podem

Impressionante que eles, o Cazelatistas falam  o nome  Moura quanto querem, quando querem  e como querem livremente nas redes sociais e por onde andam. Só que já colocaram advogados renomados  de plantão para acionar a Justiça contra simpatizantes do nome Moura. Quando  Mouristas declarados citam o sobrenome Moura nas redes sociais, eles vão pra a justiça alegando propaganda eleitoral antecipada  Seria uma estratégia deles, há! há! há.. Aí, entopem as mesas de juiz e promotor eleitoral de papel e dá muito trabalho para as partes. Que tal dialogar ?

O foco são as pendencias na Justiça

Muita coerência, a Justiça é a Senhora da balança  com quem tudo tem seu peso e dela ninguém escapa. Edson Moura cuida das demandas e pendências dele, assim como a pessoa que passou a mão numa carteira dentro do shopping e o moço que esteve preso por furto ou roubo de veículos,  certo? 

Tudo tem um propósito

Uma cortina de fumaça encobre a inoperância e incompetência da gestão, como bem falou Antônio Miguel Ferrari , o Loira, em nossa  live, no sábado , dia 23  É o quadro evidente, a nosso ver

 O que significa benefícios para o povo?

 O que a gente quer discutir é o princípio  da eficiência. Estamos numa posição diferente da posição de juiz, de promotor e delegado de polícia e outros. Respeitamos as autoridades, juízes, promotores e policiais. São os guardiões da lei, e do ordenamento social e democrático.  O Cromo, mais precisamente , estes Bastidores da Política traz as polêmicas e deixa a seguinte indagação : Quem proporcionou ou  trouxe maiores benefícios para o povo?

Responda, então:

 Esse, de quem tanto falam e para a Justiça, ele responde  por tudo o que fez ? Ou, esse outro, de quem dele nem se falam porque nada fez?.

Du e Loira

Presidente da Câmara, ex- prefeito interino, Antônio Miguel Ferrari, o Loira, resume todos os desencontros e atrasos administrativos da cidade em uma só palavra: falta de competência e má gestão de recursos e de relação entre pessoas. Segundo Loira, Cazellato foge do diálogo com ele, mesmo sendo ele, o presidente da Câmara. O presidente compara o seu período como prefeito interino de 22 de janeiro a 4 de outubro de 2019 , e sua relação com os servidores , como um período sem perseguição e retaliação

O que nós queremos

A gente vai pela linha do Canal Comunica Paulínia no facebook. Outro dia, vimos uma live em que o apresentador fez um apelo pelo fim dessas briguinhas, barracos políticos e palanques eletrônicos.  É tudo muito  feio e a cidade está feia também de  dez ou 12 anos para cá..

Sabemos discutir

Queremos e sabemos discutir a cidade do ponto de vista  do meio ambiente, do desenvolvimento urbano com os conselhos municipais livres , que cidadão como Nubor Rogério, no Conselho Municipal do Meio Ambiente ( Condema) e Ronaldinho no Conselho da Saúde, poupem seus tempos empatadas com os cotovelos nos protocolos em busca de informações que quando chegam , estão incompletas. Isso cria o clima  tenso e as relações ficam marcadas pelo conflito com desgastes para os conselheiros. Esse é o modo Cazellato de governar?

Que  discussão é essa ?

Pode até ser longe da realidade, só que a cidade está no chão, aos escombros do Sambódromo, da Rodoviária Shopping e tudo sucateada, exatamente por falta de política específica. O Departamento de Stop Motion está abandonado. Vão lá reclamar com o promotor, malversação de recursos e sucateamento  do patrimônio publico  é crime de responsabilidade.

A dupla Chico Bento e Maria Chiquinha

O prefeito Du Cazellato está muito empenhado na busca da reeleição, empata tempo com advogado para perseguir eleitores em suas postagens e deixa a cidade nas mãos de duas pessoas de sua confiança.

Fala por terceiros

 Essa é a constatação de lideranças que tem tratado de situações no Gabinete. O Sindicato da categoria virou o terror. Invés de dialogar com o Sindicato, o grupo do prefeito favorece certa associação e dá mais espaço aos representantes dela do que para os legítimos representantes do Servidor, num gesto de incentivar uma oposição pelega contra a diretoria do Sindicato

Politicagem pura e miúda desse rapaz

 Só que a tal associação mergulha no desgaste a cada dia, principalmente pelo fato de seus representantes assumirem lado e candidatura no pleito municipal. Reconhecemos o direito de as pessoas se organizarem em associação, só que a nosso ver, essa agremiação dita independente atende a estratégia de desagregar o servidor.

 

Prestem bem a atenção

O processo Eleitoral ora em cursos já deixa marcas interessantes. Falar mal quanto quiser da pessoa, mesmo que ela esteja cumprindo as formalidades da Justiça pode, enaltecer suas  qualidade, é propaganda eleitoral fora de época, mesmo certo que a pessoa está fora do pleito, há! há! há. Povo fraco de compreensão.

Lembranças dos tempos românticos

Bom mesmo era quando as disputas se davam entre pessoas de bem, como Cridão, Toninho do Craque , seu Magalhães da Padaria Real onde era o reduto das articulações.

Turma do barulho

 Do outro lado, tinha Goes, Amauri, Toni, Mauro Rodrigues, pessoal da doutora Sônia, Dudinha Breda, Gordura, Jacó, Airton da Supermáquina, Antoniolli, Seu Paulo Pietrobon, Gordura entre  outros. Hoje, nem se compara esses veteranos com essa rapaziada rançosa, que forma uma galera barulhenta de fake News, postagens pagas e impulsionadas com  xingamentos pelas redes. Antes havia respeito até nas brigas e tudo era pela cidade mesmo

      Mudaram só alguns personagens

Se for ver bem, tudo o que se fez de bom na cidade e pelo povo foi nesse tempo, inclusive o Lar dos Velhinhos, o Clube de Rodeio com festas maravilhosas, sem contar o pós- 93 quando tudo ganhou uma nova forma e as pessoas mais humildes passaram a ter valor. Elas votam, têm cidadania e sabem  decidir

A Pandemia, o retrato da cidade

Mais de 3.000 casos da Covid- 19 registrados e 65 óbitos,  colocam Paulínia na Região Metropolitana, como a cidade onde a doença mais avançou com 45 dos 223 Guardas Municipais afetados, evidencia o descuido com a Saúde.

Demandas espontâneas

Em dez meses, o prefeito que por duas vezes foi vereador, presidente da Câmara e por mais de dois meses esteve  como prefeito interino, diz até hoje que está entrosando a equipe sem apresentar um plano de ação. Tem feito remendos e coisas do dia a  dia.

Maquiagem borrada

 Maquiou a cidade e usou de contrapartidas antes articuladas, como essa arrumada no Parque das Flores. É verdade que ficou bonito, é um projeto de Edson Moura.  Só que a execução foi da MRV, que entrou na contrapartida, assim como será o Bosquinho  que está em contrapartida  sob os cuidados da Estre, a empresa do Aterro Sanitário, a antiga dona do local conhecido como lixão

Convenções e composições

E assim, o processo das disputas caminha  com as convenções partidárias programadas para o mês de setembro e enquanto ficam de olho das postagens e picuinhas a máquina pública trepida na ribanceira do salve-se quem puder. Fiquemos de olho porque o funcionamento da estrutura jurídica e administrativa tem que continuar, sem que alguém ouse a abusar.

Debandas por todas as bandas

Quem sobre a areia tentou construir, com o vento verá seu castelinho ruir porque prometeu sem ter como cumprir. Agora, verá suas bases desfeitas  e sem ter alguém que no passado o apoiou em suas empreitas

Esse moço é firme no pedal

 

Em conversa com nosso considerado  empresário Marcelo Gatte, ( Paulibike)  sobre   coisas da vida e uma possível candidatura, ele esclareceu que: por questões familiares , ele abriu mão de ser candidato nesse pleito de 2020 para continuar  dedicando aos seus negócios pessoais, em específico, a sua loja de bicicletas. Só que continua firme no guidão e no pedal com o apoio total ao seu partido ( o PTB), liderado pelo  amigo Francisco Bonavita!

Membros do diretório tucano renunciam

Ficamos sem apurar os reais motivos da renuncia de quatro integrantes da Comissão Provisória do Diretório do Partido do Movimento Democrático Brasileiro ( PSDB) . Foram quatro cartas endereçadas ao presidente do Diretório Estadual, Marco Vinholi, entre essas, a do presidente da Comissão, Sergio Zanovelo.

Na exposição, Sergio alega motivos de fórum estritamente pessoal e agradece ao presidente pela relação cordial mantida enquanto permaneceu na legenda.

Já outros integrantes como Sergio Ricardo de Oliveira , secretário Geral, Mauro Vitor da Silva e André Luciano Zenovelo, ambos na função de vogal, além da renúncia em caráter irrevogável, eles pedem a desfiliação do partido.

Sergio diz que por questões  pessoais, ele decidiu ficar fora do processo político em 2020 sem manifestar apoio e que permanece filiado á legenda

 

 

 

 

 

 

terça-feira, 18 de agosto de 2020

 

Política dos  Bastidores

Por  Miguel Samuel de Araujo

 

Agora, o RB regulou o  GPS

Agora é definitivo, o Republicanos, RB do deputado federal Celso Russomano,  José Soares, Sandro Caprino, Marcinho Alves,  Brizolinha, Bepe Pantera, Luana Silva e outros, definiu a rota.

Caminho natural

 De acordo com o presidente da legenda na cidade, Clayton Santos, a partir de agora, esse povo reforça a estratégia do MDB com Nani Moura para prefeita de Paulínia. Depois de muitas conversas inclusive com outros grupos, deputado federal, as lideranças do RB na cidade e do MDB selaram o acordo.

Ginástica política

A rigor, o RB já deveria estar com o MDB desde o início. O partido caminhou junto por um período e decidiu se enveredar para o lado do Cidadania, partido dirigido pelo empresário Tuta Bosco, possível candidato a prefeito.

Outras  sinalizações

 Só que no desenrolar dos acontecimentos, Bosco deu uma bambeada na candidatura, então em processo de alinhamento com o Republicano e pendeu para o grupo do atual prefeito Du Cazellato, candidato a reeleição. Sem êxito, em conversações,  o RB  descartou também  a possibilidade de caminhar com o PL de Cazellato. Aí, num exercício de ideias com o apoio de Russomano e outros lideres expressivos, o RB retomou  agora em definitivo o espaço que havia deixado no campo do MDB. 

Entre pedras e outros estilhaços

Igual, ou mais desafiador do que caminhar sobre uma areia movediça que a qualquer instante desliza, ou faz desmoronar castelinhos, é caminhar politicamente com o esse grupo do prefeito Du Cazellato. Por mais interessante que seja a contrapartida, fica sempre a dúvida:  será que vale a pena se expor para defender atos administrativos de um governo em eminente desgaste?  Sob a administração de Du Cazellato,   Paulínia tem a marca da  cidade que tem o maior número de pessoas infectadas pelo Coronavirus entre as a cidades da Região Metropolitana de Campinas, sendo que entre os casos tem quase 20% do efetivo da Guarda Municipal . Recentemente, o Tribunal de Contas do Estado de São Paulo ( TCE) brecou um negócio da ordem de 37 milhões que seriam investidos em iluminação publica.

Os desatentos

 O pessoal do prefeito deve ter dado uma bobeada na feitura do processo e ficou margem para o Tribunal apontar irregularidades. Então, o prefeito que estava todo contentinho com a possibilidade de oferecer luz aos aliados em suas campanhas, já ficou de farol baixo e sem tempo de consertar o feito.

Campanha Eleitoral

Até parece que o prefeito da cidade e seu staff administrativo desconhecem o processo político, marcado por criticas e cobranças continuadas, mais precisamente em ano eleitoral. Se ao invés de empatarem seus tempos  para processar cidadão que os criticam, como fizeram contra o GM  Rodrigo Macelari e outros , os advogado de Du Cazellato  se debruçassem com seriedade sobre os processos de compras e contratações, o edital de seleção do pessoal da saúde e esse contrato da iluminação publica , teriam deslizado que uma beleza.

Sentimentos e ressentimentos tolos

Só que a expressão do ódio, rancor, intolerância, incapacidade de diálogo, arrogância, prepotência, egoísmo e outros iguais, falam tão alto nos ouvidos desse povo que o edital sai errado e eles mesmos se prejudicam. Depois, pode vir a tropa de choque no facebook atacar a oposição que de nada adianta. Enquanto isso, o Coronavirus se alastra por todos os lados,  e de forma legitima, opositores e população cobram resultados satisfatórios

Fotos e fatos distorcidos

 Avisem o pessoal liderado por Leonardo Ballone e aquele outro ligado ao deputado Paulinho da Força,  que em período eleitoral isso acontece mesmo. Tem que ficar esperto da hora de fazer as coisas, em período eleitoral, todo mundo vê  Fake News  atrapalha e tira votos , bem como esses troladores de facebook que se prestam a xingar e ofender pessoas

Foi avisado

Bem que deveriam escutar aquele vereador que defendeu e serviu de escada para Du Cazellato chegar aonde chegou. O rapaz só defendeu o bom senso administrativo, um plano de ação logo no início, um ranking de prioridades reais e uma estratégia eficiente de comunicação com a sociedade. Aí, sim, teríamos uma gestão bem diferente dessa que temos. Agora, o tempo passou.. Tem que ir ao corpo a corpo atrás de votos.

Abraço de Tamanduá

 Cuidado, a história registra casos de pessoas  de poder esmagada pelo peso da máquina que carregava, tudo por causa de uma escorregadinha que parecia mais um empurrãozinho amigo do parceiro que estava no staff para dar apoio. Pergunte ao Dixon de Carvalho como isso pode acontecer. Com seu  jeito calmo ele explica direitinho , inclusive demonstrando com as mãos como o episódio se deu.

Com essas e outras

Estamos prestes a ter a nova escolha de prefeito. Há pouco mais de um ano, Du Cazellato substituiu o então interino, Antônio Miguel Ferrari, o Loira, presidente da Câmara. Cazellato vai para mais um teste nas urnas sem mostrar nada mais do que uma parte da demanda espontânea. Se fosse um político guiado pela coerência, teria feito uma aliança com Loira e estaria seguro. Só que escolheu outro caminho e se distanciou do colega vereador

O dono ou o cão ?

A campanha de castração de animais tem gerado questionamentos  por parte de munícipe  e revela a falta de traquejo das pessoas do governo na lida com a burocracia. Pessoas do povo reclamam das exigências para o agendamento. Uma verdadeira anamnese com o dono do animal com a exigência de documentos. Fora esse procedimento, a venda dos produtos para o pós-operatório,  como  cones para o animal e antibióticos causou muita estranheza. A divulgação ficou a desejar e o questionamento é a comercialização de produtos dentro do espaço público.

Sem o pão e sem o cão

Vem daí, a máxima dentre os ditos populares, de que quem oferece pão ao cão alheio corre o risco de ficar sem ambos. Esse processo abre precedentes para questionamentos, principalmente por se estender pelo período de campanha eleitoral.  Mais uma vez, o pessoal do Du vacila com a oferta de munições para os adversários. Aí, para se justificar colocam a tropa de choque do facebook para operar com ofensas e xingamentos.

 

As  conversas de bastidores

Muitos sãos os comentários e articulações e o calendário eleitoral se cumpre em um ambiente de cuidados por parte das lideranças partidárias e candidaturas por causa da situação nova. A Pandemia do Covid – 19  impôs paradigmas e ensinou . Que todo o processo eleitoral se transcorra no mais profundo respeito e o povo tenha clareza para escolher seus representantes a partir de 2021..

 

 

 

terça-feira, 7 de julho de 2020

Ao rebater crítica e cobrança, vereador de Paulínia desafia cidadão: " Ganhe a eleição e faça melhor


Em  discurso  inflamado, vereador joga  a toalha
A sessão ordinária e online da Câmara de Paulínia realizada na terça- feira dia 29 , foi marcada por sucessivos discursos que podem ser interpretados como desânimo do vereador veterano que convida um novato para assumir o lugar dele. Foi essa a impressão que passou para quem acompanhou os trabalhos pela internet. Em um momento da Comunicação a Casa ( palavra livre ) o vereador rebate a crítica do cidadão, no contrataque : “ então se candidate, venha aqui ser vereador”. O tom da fala repercutiu e outros foram na mesma linha..

Fala infeliz
Ora, quando um vereador rebate a critica ou cobrança de um munícipe com uma expressão assim, em tom de desafio para que ele tome o seu lugar, a fala reverbera nos ouvidos de quem acompanha a sessão e recebe as mais diversas interpretações.
Arrogância ou cansaço?
Seria como se a pessoa estivesse num restaurante e ao reclamar da comida que ele paga  e ouvir : “então faça você ´. Ou então , fica a impressão de que o vereador está a posar de gostosão , o intocável , tipo que ninguém chega onde ele chegou.. Muito feio  isso, a nosso entender. Agora, o vereador pode , ele é livre. Se quiser, pode continuar como faz Marcelo de Souza ao se referir aos críticos. É o conteúdo dele, o repertório que ele tem , é legítimo , eleito e em pleno exercício do mandato que o povo lhe conferiu
Um jeito natural de falar
  Temos casos registrados na história do Legislativo de Paulínia bem  assim.. Esse discurso no estilo desafiador  era muito usado por Francisco Bonavita, que com muita maestria e presteza cumpriu cinco mandatos, foi presidente da Câmara e se tornou vice- prefeito. Do grupo de Bonavita, saíram dois vereadores, auxiliares diretos nos mandatos: Zé Coco e Fábio Valadão. Hoje politicamente vive cada um em um grupo diferente e nenhum deles é aliado de Bona.
A lenda, o peixe e sua  boca
 Outro que vira e mexe usa esse tom de discurso, é Marquinhos da Fiorella, já no quarto mandato em vias de pendurar a chuteira na política. Seu ex- assessor e colaborador de mandato é o vereador Manoel Filhos da Fruta, que vira e mexe , usa o mesmo discurso desafiador  como quem bate no peito para rebater criticas ao dizer: “ se candidate, venha aqui ver como é.. Filhos da Fruta foi eleito pelo PCdoB e tenta a reeleição , agora pelo SD,  uma outra legenda da base aliada do prefeito Du Cazellato.
Comunicação sem violência
As coisas  mudam e com o tempo, as formas de expressão devem ser adequadas. Antes da transmissão de sessões pela Internet, muita coisa passava. Agora  com a Pandemia do Covid 19, a comunicação eletrônica se torna necessárias e requer cuidados. Nessa Quarentena, a gente passou a assistir sessões online e estamos mais atentos. O vereador parece se esquecer de que pelas redes, ele entra nas casas nas quais ele pede voto. Na última Sessão, o líder de Governo, Fábio Valadão se dirigiu ao colega José Soares, com um discurso de total desconformidade com a postura que se espera de um advogado de formação, com princípios espiritualistas confesso e criado o seio de boa família.
Fala do líder
 Aqui, a gente se poupa de analisar a fala do vereador Valadão como um desespero para defender um Governo que faz o dever de casa de forma incompleta ou outro motivo . Sem a intenção de julgar, afinal, quem somos nós para compreender a alma e o coração dele  com o seu jeito bravinho, né ?
Talvez ele esteja estressado por outros motivos, só ele sabe.
O governo
O que a gente sabe pelas evidências, é que o prefeito Du Cazellato, de quem o vereador se faz porta voz,  mal consegue administrar e dar respostas para as demandas espontâneas, há! há! há!.. Na última quinta- feira, dia 2, Valadão participou de uma livre de uma jornalista e se portou com mais serenidade. Estava mais tranquilo.
Situação da cidade
Conforme ouvimos pela internet, o tom da fala do vereador é pesado. Portanto  cabe ao cidadão ouvinte interpretar  conforme a fala de Valadão chega aos ouvidos dele-, se a situação do governo de Du Cazellato, é grave ou aguda independente do quadro que o vereador pinta com seu palavrório.
Muito de boa
De nossa parte, é muito tranquilo esse posicionamento. A gente entende o cenário que ora descortina a nossa frente com quadros de incerteza. No momento se faz necessário conter os ânimos, principalmente por parte das pessoas que exercem autoridade, elas também são pessoas, compreendemos. Aliado a isso, tem as tarefas e providências de um ano eleitoral que exige de quem está num cargo público as  justificativas a que veio e abre um portal de possibilidades para aqueles que estão de fora do poder e almejam o posto. Já sentimos a temperatura. Desde já percebemos a densidade e o valor do mercúrio que corre nos termômetros que medem tudo nessa fase. É ouro puro, dinheiro acima de vidas. Quando escrevíamos essa coluna Bastidores, a cidade de Paulina contabilizava 887 casos de Covid 19 e um dia anterior era 826.  Já foram registradas 14 mortes. Muitos servidores estão contaminados e muitos outros na linha de frente trabalham em clima de tensão, são vidas. Tem preço?
Os novatos
Alguém teria dúvidas que quanto mais se aproxima as eleições mais cresce a pressão sobre os vereadores e o prefeito? As 15 cadeiras do Legislativo são cobiçadas e com certeza dos 15 que lá estão nem todos irão continuar. Entre os que estão de fora, tem aqueles que já sentiram o gostinho, como Mário Lacerda, Jurandir Matos, Siméia Zanon, Odair Bordignon, talvez, Gustavo Yatecola e o  ex- prefeito Dixon Carvalho que segundo seus aliados poderá surpreender.
Novos fortalecidos
Só que entre os novos tem gente estribada nos velhos, como é o caso do empresário Pedro Bernardi, filho de Roberto Bernardi, o popular Careca, do setor imobiliário e ligado á vida social.  Por cinco mandatos, Careca ajudou garantir a cadeira do sobrinho, o Marquinhos Bernardi, o Marquinhos da Bola. Agora, ele calibra os pneus para colocar o filho na  estrada
Para o Executivo, os novos disputam   
O prefeito Du Cazellato vai para a eleição numa disputa direta com Tuta Bosco( Cidadania) que já disputou ou duas vezes e nunca ocupou um cargo público e Nani Moura ( MDB) que nunca ocupou o cargo e ficou em segundo lugar nas eleições complementares quando Du foi eleito. Também está anunciada a candidatura de Robert Paiva pela Rede. Os partidos de esquerda, PT , PSOL e PCdoB se movimentam sem ainda anunciar candidaturas oficialmente.
Diferente das outras
Em função da Pandemia, mantem- se a máxima de que cada eleição apresenta um fato novo. O processo passou de outubro para novembro e as candidaturas mudam montam diferentes estratégias. Em Cosmópolis, o atual prefeito, José Pivato  enfrenta o ex- aliado Junior Felisbino , sendo que por fora, corre o empresário Rafael Pádua que segundo pesquisa se beneficia por ter a menor rejeição entre os concorrentes.
Votação em  15 de novembro
A Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (1º) a proposta de emenda à Constituição (PEC) que adia para novembro as eleições municipais deste ano em razão da pandemia do novo corona vírus.
Pelo calendário eleitoral, o primeiro turno estava marcado para 4 de outubro, e o segundo, para 25 de outubro. A PEC adia o primeiro turno para 15 de novembro, e o segundo, para 29 de novembro.